TCE MAIO
(67) 99826-0686
PMCG - Prestação de contas

Protesto contra mudança na lei anticorrupção começa com 3 mil pessoas na Capital

Manifestantes também gritam a favor da Operação Lava Jato e contra Renan Calheiros

4 DEZ 2016
Thiago de Souza e Rodson Willyams
17h12min
Manifestantes se concentram na Avenida Afonso Pena Foto: André de Abreu

A manifestação contra a mudança no texto, aprovado pela Câmara dos Deputados, do que ficou conhecida como ‘As Dez Medidas contra a Corrupção’, começou com três mil manifestantes, concentrados na Avenida Afonso Pena, em frente a Praça Rádio Clube, em Campo Grande. O Grupo, que acompanha um trio elétrico, vai caminhar até o MPF (Ministério Público Federal), na mesma avenida. 

(Camila Ponce apoiou projeto de lei contra a corrupção no Congresso - Foto; André de Abreu)

Segundo a organização do protesto, o eixo central da manifestação também pede a manutenção da Operação Lava Jato e a celeridade no julgamento do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB/AL), que se tornou réu no STF (Supremo Tribunal Federal) na última quinta-feira (1), acusado de peculato, além da prisão do ex-presidente Lula. 

As pistas da Afonso Pena, em frente a Praça foram interditadas por volta das 15 horas. No local, o protesto toma corpo, encabeçado pelos movimentos Avança Brasil; Pátria Livre; Nas Ruas e Chega de Impostos. 

Camila Ponce, 36 anos, foi uma das pessoas que participou do abaixo-assinado, que resultou no projeto de lei de iniciativa popular, encabeçada pelo MPF (Ministério Público Federal), que ficou conhecida como as ‘Dez Medidas Contra a Corrupção).  Para ela, o texto original não deveria ter sofrido alterações, o que motivou o protesto de hoje. "Não tiveram vergonha na cara e mudaram o texto das dez medidas. Eles subverteram as medidas em benefício próprio e o transformaram para proteger eles mesmos", criticou Ponce.  

Os manifestantes estão, em sua maioria, com camisas verde e amarelo e da seleção brasileira de futebol. Eles carregam faixas e cartazes contra a corrupção e gritam palavras de ordem, puxadas pelo locutor do trio elétrico. 

Marilza Guimarães, 54 anos, saiu de casa e foi ao protesto para ‘somar junto com o povo’. "Tem muita coisa errada e os deputados se aproveitaram de um acidente que ocorreu no mesmo dia e votaram o projeto na madrugada’’, denuncia a manifestante. 

Guimarães entendeu a alteração do projeto original anti-corrupção como uma covardia do parlamento. "Aproveitaram que todo mundo tava focado no acidente e enquanto isso estavam votando projeto para eles mesmos", completou. 

A Polícia Militar promove a segurança no local, junto com a Agetran, que controla o tráfego nas vias próximas.  

(Trio elétrico conduz manifestação contra a corrupção na Avenida Afonso Pena - Foto: Rodson Willyams )

 

 

Veja também