(67) 99826-0686

Reunião do Conselho da OAB começa com bate-boca

Clima tenso

6 DEZ 2013
Juliene Katayama
12h29min
Foto: Juliene Katayama

A última reunião do Conselho da Ordem dos Advogados do Brasil seccional de Mato Grosso do Sul (OAB-MS) começou tensa nesta sexta-feira (06). O conselheiro Carlos Magno Couto iniciou a discussão ao discordar da ata da última reunião, realizada no dia 25 de outubro. Depois, ainda sobre a ata, os demais conselheiros reclamaram de terem recebido apenas ontem no fim da tarde. Para acalmar os ânimos, o presidente Júlio César suspendeu a votação da ata.

"A ata diz que eu chamei de vendido e golpista o governador. Eu não disse que era para o governador", reclamou Carlos Magno. O conselheiro fez referência a Carlos Marques, integrante do Conselho Federal. Em seguida, ele rasgou a ata como forma de protesto. "Para mim essa ata não serve", resumiu.

A reclamação esquentou mais o clima da reunião. Os demais conselheiros reclamaram que receberam a cópia da ata só no fim da tarde de ontem. "Eu recebi ontem no fim do dia, mas consegui analisar a ata", afirmou um deles. Outros foram contra. "Toda ata é enviada na segunda-feira posterior à reunião e não um dia antes da reunião seguinte", pontuou outro.

O presidente perguntou diversas vezes se todos haviam recebido a ata ontem à tarde. Diante dos ânimos exaltados, Júlio César ameaçou suspender a reunião. "Hoje, nessa sessão será mantida a ordem. Se continuar a desordem vou suspender", informou o presidente.

Depois disso, a maioria dos conselheiros responderam que haviam recebido somente um dia antes da reunião. Carlos Magno voltou a reclamar das informações da ata. Júlio César decidiu suspender a votação da ata até que se confirmassem as informações. Mas até a suspensão para averiguação dos fatos foi motivo para discussão.

"Nunca fizemos isso. Sempre seguimos o rito de vota a ata anterior antes", afirmou um conselheiro. Apesar da reclamção, Júlio César se manteve firme na decisão. "Está suspensa a votação da ata do dia 25 de outubro", encerrou a discussão.

Veja também