Menu
terça, 25 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

Secretário de Governo rebate críticas e diz que nomeações exigem tempo

12 setembro 2015 - 18h00Por Dany Nascimento

Secretário Municipal de Governo, Paulo Pedra, afastou qualquer crítica sobre suposta demora na nomeação de cargos para a equipe de Alcides Bernal, prefeito de Campo Grande pelo PP. Conforme ele, após ser reconduzido ao cargo, há pouco mais de duas semanas, Bernal está analisando a capacidade técnica e o respaldo político dos possíveis indicados. Pedra ainda rebateu alas políticas, que começam a criticar o prefeito pela suposta demora na indicação dos nomes que devem compor o primeiro escalão d gestão.

"A questão é que o prefeito não pode errar, não adianta colocar secretário para tocar uma pasta sem ter capacidade técnica, sem ter conhecimento para desenvolver os trabalhos. Bernal está analisando as questões técnicas e o respaldo político", diz Pedra.

Pedra destaca que a Semed (Secretaria Municipal de Educação) é uma das pastas mais importantes e deve ser administrada por um gestor que tenha conhecimentos técnicos. Questionado sobre a possibilidade do vereador José Chadid (sem partido) assumir o comando da Secretaria, Pedra diz que é um bom nome para ser indicado.

"O Chadid é um bom nome, mas tudo ainda está sendo estudado pelo prefeito. Acredito que até a próxima segunda feira, já teremos um nome para essa pasta e queremos colaborar com a Capital, queremos que os educadores estejam motivados e não sem esperança como estão', diz o secretário.

O secretário diz que não adianta os vereadores iniciarem uma pressão com o Executivo para escolher secretariado, já que o vereador Carlão (PSB) fez o uso da palavra durante sessão da Câmara Municipal nesta semana, cobrando a nomeação do Secretário de Obras.

"Não adianta os vereadores agirem assim, eles tem que dar esse mês ao prefeito para definir os melhores nomes para ocupar esses cargos. É uma decisão importante que deve ser feita com total segurança, portanto, muita coisa tem que ser analisada", finaliza Paulo Pedra.