Menu
segunda, 17 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

Shimabukuro é ouvido pelo Gaeco e sai sem comentar depoimento

25 agosto 2015 - 13h00Por Amanda Amaral e Rodson Willyams

O vereador Edson Shimabukuro (PTB) foi o primeiro detido a ser ouvido pela operação do Gaeco (Grupo de Atuação e Repressão ao Crime Organizado), organizou uma ordem de depoimentos por idade e condição de saúde. Como o engenheiro se recupera de uma cirurgia, foi liberado por volta das 12h10, logo após ser ouvido pelos agentes.

O vereador saiu acompanhado por seu advogado e declarou que ainda não vai conceder entrevista à imprensa, “pois o processo corre em segredo de justiça”. Todos os vereadores e empresários envolvidos aguardam em uma sala separada e estão sendo ouvidos pouco a pouco, o que deve se prolongar até o fim da tarde desta terça-feira (25).

O Gaeco (Grupo de Atuação e Repressão ao Crime Organizado), braço forte do Ministério Público Estadual, e investiga suposto esquema de direcionamento de votações na Câmara Municipal.

Foram apreendidos nesta manhã os celulares dos vereadores Otavio Trad (PTdoB), Eduardo Romero (PTdoB), Flávio César (PTdoB). Na lista do Ministério Público Estadual (MPE) também figuram: o vereador Edil Albuquerque (PMDB); vereador José Airton Saraiva (DEM); vereador Waldecy Batista Nunes – chocolate – (PP); vereador Giomar Nery de Souza (PRB); vereador Carlão (PSB); vereador Edson Kyioshi (PTB); vereador Paulo Siufi (PMDB) e o secretário de saúde Jamal Salem – (PR), além do vereador afastado por envolvimento em escândalo de exploração sexual, Alceu Bueno, expulso do PSL.

Também estão na lista os empresários João Amorim, dono da Proteco, João Roberto Baird, dono da Itel Informática e Fabio Portela Machinky. Os dois primeiros são grandes pivôs da Lama Asfáltica.