Menu
Busca sexta, 05 de junho de 2020
GOV FEMINICIDIO
Política

Siufi afirma que comissão de saúde irá percorrer todos os postos da Capital

Saúde Pública

31 outubro 2013 - 17h21Por Aline Oliveira e Carlos Guessy

O vereador Paulo Siufi (PMDB) se pronunciou hoje (31), a respeito das denúncias feitas pelos Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul (Sinmed/MS) sobre a situação de precariedade dos Postos de Saúde e UPA's de Campo Grande. As reclamações vão desde falta de material para atendimento médico até perseguição para os profissionais que foram se queixar na Sesau.

 

"Na última terça-feira eu já havia elencado os problemas existentes no setor de saúde pública em Campo Grande e hoje, o doutor Jamal apresentou a denúncia oficial encaminhada ao MPE. Nós da comissão de saúde decidimos então visitar todas as unidades de saúde da Capital acompanhados por membros do Conselho de Medicina, Farmácia, Odontologia, a vigilância sanitária municipal e estadual e os sindicatos similares", revelou Siufi.

 

De acordo com o parlamentar, o objetivo é promover um diagnóstico detalhado das condições de funcionamento nas UBS e UPA's, tendo em vista o grande número de denúncias, tanto da população quanto dos médicos. "Vou encaminhar amanhã um ofício ao MPE para solicitar que um representante nos acompanhe. A saúde pública de Campo Grande está na cova e quem sofre com isso é a população, não podemos deixar que esta situação continue", analisou.

 

Leia Também

'Reforço Financeiro": comércio vai funcionar das 7h30 às 19h até 14 de junho
Cidades
'Reforço Financeiro": comércio vai funcionar das 7h30 às 19h até 14 de junho
Fotógrafo de Campo Grande denunciado por assédio sexual nega acusações
Polícia
Fotógrafo de Campo Grande denunciado por assédio sexual nega acusações
Buffets de Campo Grande poderão funcionar como restaurantes entre os dias 11 e 14 de junho
Cidade Morena
Buffets de Campo Grande poderão funcionar como restaurantes entre os dias 11 e 14 de junho
Técnico que chamou colega de 'resto de incêndio' se diz negro e que vítima aceitava 'brincadeira'
Cidade Morena
Técnico que chamou colega de 'resto de incêndio' se diz negro e que vítima aceitava 'brincadeira'