(67) 99826-0686
ALMS 13/06 a 12/07

Sobre as eleições, Delcídio diz que 'o jogo deve começar em março

Disputa

23 JAN 2014
Vanessa Ricarte
07h00min
Delcídio antecipa alguns passos em direção às eleições de 2014. Foto: Vanessa Ricarte

Ontem (22) em Maracaju, durante a abertura da Showtec 2014, evento que reuniu lideranças políticas, produtores e especialistas em torno das novas tecnologias do agronegócio no Estado, o senador Delcídio do Amaral (PT) participou da cerimônia de entrega de equipamentos agrícolas avaliados em R$ 860 mil para a Fundação MS, instituição direcionada à pesquisa e difusão de tecnologias no setor em MS.

Na ocasião, o pré-candidato ao Governo do Estado se posicionou sobre as primeiras movimentações políticas do ano diante da iminente eleição que ocorrerá em outubro. Acompanhado por Reinaldo Azambuja (PSDB), uma das lideranças mais disputadas entre PT e PMDB no estado, Delcídio afirmou que contou com o apoio do deputado federal na liberação do recurso entregue em Maracaju, o que deixou transparecer um alinhamento cada vez mais certo entre os partidos. "Reinaldo Azambuja foi um companheirão na viabilização dos equipamentos para a Fundação MS", pontuou o senador.

Replicando a nacional - Para Delcídio, o fator preponderante para estabelecer quais partidos comporão as alianças nas eleições vai depender da reforma ministerial que será definida pela presidente Dilma Rousseff dentro das próximas semanas. O senador assegurou ao TopMídia News que existe uma tendência para que ela replique da nacional à estadual. "Dessa vez, há uma atenção especial das direções nacionais nos estados, já que antes elas tinham certa liberdade pra fazer as composições. Nacionalmente, estão atrelando tudo."

Reforma e repercussão em MS

Dilma Rousseff deve fechar a reforma ministerial em duas etapas: a primeira, no início de fevereiro e a outra no final de março. A decisão corre contra o tempo, já que os ministros que concorrerão às eleições deste ano deverão entregar suas pastas até o dia 5 de abril, último prazo para que deixem suas respectivas funções.

As articulações no alto escalão terão impacto significativo na formação das alianças partidárias em Mato Grosso do Sul. Até o momento, o PMDB continua às avessas com Dilma, já que existem especulações de que a presidente não aumentará a quantidade de pastas entregues ao partido do vice, Michel Temer.

Na estadual, significa que os adversários PT e PMDB deverão trabalhar cedo para cooptar mais legendas na disputa pelo Governo de MS. Para Delcídio, "o jogo vai começar efetivamente em março quando sem dúvida nenhuma, começam as conversas que vão ser refletidas pela reforma ministerial."

Quem já subiu e subirá no busão

Na abertura da Showtec, Delcídio afirmou que se reuniu com o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, para dar continuidade ao apoio do partido no âmbito estadual. Assim como o Social Democrático, o senador já tem aliança efetiva com o Progressista do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP). "PCdoB e PROS já subiram no busão e ainda vai subir mais gente. A gente fica quieto e vai devagar. É igual mingau, tem que comer pelas beiradas", declarou.

Veja também