(67) 99826-0686
entregas

Vale mostra virada de Rose em Campo Grande

Rose aparece com 38% das intenções de votos e Marquinhos com 37%

29 OUT 2016
Dany Nascimento
13h44min
Foto: TopMídianews

A pesquisa nº 05769/2016 registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), com 700 eleitores pela Vale Consultoria mostra que Rose Modesto aparece à frente do candidato do PSD Marquinhos Trad.

Conforme o resultado, a tucana Rose aparece com 38% das intenções de voto estimulada, seguida de Marquinhos com 37%. Nas intenções espontâneas, Marquinhos aparece com 35%, seguido de Rose, com 34% das intenções de voto.

Cerca de 13% dos eleitores declararam voto nulo na pesquisa estimulada e outros 12% se dizem indecisos diante do pleito eleitoral. Na pesquisa espontânea, 31% se classificaram como votos 'nenhum, branco, nulo e indecisos'.

O número de rejeição estimulada do candidato Marquinhos foi de 25% e Rose obteve 22% entre os eleitores ouvidos. A pesquisa foi  encomendada pela Rede Centro Oeste de Rádio e Televisão, considerando uma margem de erro máxima de 3.7 pontos percentuais para menos ou para mais. O segundo turno será definido amanhã (30), pois as votações terão início às 8 horas e seguem até às 17 horas.

Debate TV Morena

Marquinhos e Rose Modesto participaram do último debate antes das votações na noite de ontem (29), na TV Morena e já iniciaram as discussões com os nervos a flor da pele, relembrando casos de corrupção na saúde pública, citando o Sistema Gisa (Sistema de Gestão de Informações em Saúde), prometido e pago pelo ex-prefeito Nelsinho Trad Filho, hoje no PTB, mas que nunca foi implantado na Capital.

Rose fez questão de questionar Marquinhos sobre os problemas, já que é irmão de Nelsinho Trad e primo do ex-secretário de saúde na gestão Trad, Luiz Henrique Mandetta. Marquinhos alegou que os membros de sua família são diferentes. "Nelsinho é Nelsinho, Marquinhos é Marquinhos e Mandetta é Mandetta candidata".

Além disso, a tucana questionou Marquinhos sobre o tão falado 'cargo fantasma' na Assembleia Legislativa, porém, o candidato explicou que possui provas na mão diante das acusações, mas não entrou em detalhes sobre quais documentos pretende apresentar comprovando que não recebia como servidor público enquanto cursava direito no Rio de Janeiro.

Já Marquinhos, acusou Rose de apoiar a gestão do ex-prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte, acusado de arquitetar um esquema político para cassar o prefeito Alcides Bernal em 2014. O candidato do PSD até citou o refrão da música interpretada por Bruno e Marrone, dizendo 'isso cê num conta né candidata'.

 

 

 

 

 

 

Veja também