Menu
segunda, 06 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
CAMARA - vacinaçao
Política

Vereador que ameaçou prender manifestantes diz que defendia direito do povo

'Trabalho para o povo e não vou ser conivente com atos de ilegalidades', ressaltou o parlamentar

13 dezembro 2018 - 17h00Por Nathalia Pelzl
Vereador que ameaçou prender manifestantes diz que defendia direito do povo

Vereador que ameaçou prender manifestantes na Câmara Municipal de Campo Grande, o delegado Wellignton (PSDB) alega que estava apoiando e defendendo a causa do câncer e as vítimas da doença no momento em que ‘baderneiros’ perturbaram a tranquilidade da sessão. Ele declara que, por isso, teve que usar sua autoridade como policial.

Segundo o vereador, os que estavam protestando estavam ameaçando a democracia, gritando para ele sair sem saber o assunto que estava sendo falado.

“O contexto não era sobre aumento de subsídios, era um flagrante desrespeito ao que ali estavam trabalhando para o povo. Tenho quase 7 mil indicações de melhorias nos 74 bairros de Campo Grande, mais de 100 projetos para a sociedade, mais de 40 leis aprovadas,  fiscalizo o Poder Público, portanto trabalho para o povo e não vou ser conivente com atos de ilegalidades”, ressaltou o parlamentar.

Para ele, as manifestações na Câmara Municipal devem ser de acordo com o regimento interno, diferente do que os poucos participantes estavam fazendo.

“Sou a favor da democracia e defendo a democracia. Não foram dialogar, foram tumultuar e criar factoide e 'fake news' [notícias faltas]. Veja o vídeo e conclua o contexto”, finaliza o vereador.

Relembre a polêmica

O vereador delegado Wellington (PSDB) causou polêmica, em sessão na Câmara Municipal de Campo Grande nesta semana, em votação do reajuste salarial dos vereadores. Após protestos, ele usou sua ''autoridade'' como policial e ameaçou prender todos que manifestavam contra o aumento. A sessão ocorreu nesta terça-feira (11).

Em seu discurso ele ainda falou 'dos necessitados' e que 'a casa estava aberta para ajudar a todos'.  Ao ouvir isso, o público vaiou o vereador.

Mas, aparentemente tudo não passou de uma brincadeira, considerando a piscadela do vereador. Brincadeira ou não, o fato que é que pegou mal e, na internet, já existem campanhas para a não reeleição do mesmo.

O aumento

Os parlamentares aprovaram, em regime de urgência, o aumento nos salários, que podem passar dos atuais R$ 15 mil para R$ 19 mil. Apenas os vereadores Vinícius Siqueira (DEM) e André Salineiro (PSDB) votaram contra o reajuste.