tce janeiro
Menu
quinta, 27 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

Vereadores lamentam cassação de Thais e Delei, mas ignoram Pedra

19 novembro 2015 - 14h12Por Rodson Willyams

Os vereadores da Câmara Municipal de Campo Grande se solidarizam com os colegas de parlamento Thais Helena, do PT, e Delei Pinheiro, do PSD, após ambos perderam o mandato por meio de decisão judicial do Tribunal de Superior Eleitoral. Na mesma situação e por conta de declarações polêmicas via rede social, o apoio dado a dupla não se estendeu ao vereador Paulo Pedra, do PDT, que acabou ignorado pelos colegas.

Logo que começou a sessão, o vereador Carlos Augusto Borges, o Carlão, do PSB, leu uma declaração de Pedra em que afirmava na sua página no Facebook, que a investigação "desbaratou uma quadrilha que comandava a distribuição de dinheiro público". O caso provocou revoltados dos colegas que chegaram a declarar que, por ele fazer parte da mesma legislatura, ele também estaria dentro da quadrilha.

Por conta desta declaração, os vereadores o ignoraram e lamentaram apenas o caso envolvendo Thais e Delei. "É estranho esse comportamento, mas sabemos que há os embargos sobre a defesa. Espero que esse relator possa ter um pouco de calma a analisar o caso. Que a senhora [Thais Helena] e o Delei [Pinheiro] possam ser resguardados nesses momento. Todos nós ficamos ressentidos com o que aconteceu", declarou o vereador Paulo Suifi, do PMDB.

O vereador Marcos Alex, do PT, também comentou o caso. "Eu fico chocado com o acontecimento de alguns desatinos que recaem o peso sobre os políticos. Parece que tudo que acontece de ruim é culpa dos políticos. Queremos deixar claro que nós somos contra a decisão e não concordamos com isso".

Outro a comentar foi o presidente interino da Câmara Municipal de Campo Grande, Flávio Cesar, do PT do B, sobre o caso. "Nós nos solidarizamos com vocês que plantaram o resultado e contribuíram para Campo Grande. É lamentável essa situação".

Mais cedo, o presidente afirmou que até o momento a Câmara Municipal não foi notificada sobre a decisão do TSE e que em caso semelhante ao de Campo Grande, 'o acórdão sobre a decisão chegou a ser publicado 30 dias após a decisão, mas a gente não pode saber quando essa publicação será feita. Por enquanto, enquanto não sai, os vereadores que tiveram o mandato cassado permanecem no cargo'.

Por fim, a vereadora Thais Helena, do PT, falou sobre o assunto e disse que assim que sair o acórdão, ela poderá apresentar a defesa por meio de embargos ao Supremo. Na Tribuna, a parlamentar afirmou ainda que há erros no processo, que ignoram as provas, e que vai recorrer da decisão. "Eu não me sinto atingida por esta decisão", finalizou.