TJMS JANEIRO
Menu
quinta, 20 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

Votação de projeto que aumenta 'imposto pra rico' é novamente adiada

ITCD

05 novembro 2015 - 12h50Por Anna Gomes

Mesmo depois de ter aprovado o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), a análise do aumento do ITCD (Imposto sobre a Transmissão Causa Mortis e Doação), o 'imposto pra rico', foi novamente adiada. A proposta acabou ficando para semana que vem depois de ser barrada na sessão desta quinta-feira (5).

O documento lido na sessão de hoje muda a coleta do ITC de 3% em caso de doação e 6% causa de mortes, já a isenção continua válida para imóveis de R$ 50 mil. Devido a substituição do documento, ele não será votado hoje.

A grande questão é que o projeto prejudica mais diretamente aqueles que possuem imóveis caros, já que segundo a proposta, o imposto será cobrado de acordo com o valor da propriedade, mantendo a tributação progressiva, sendo de 2% para propriedades até R$ 300 mil, 4% de R$ 300 mil a R$ 600 mil e a partir dos R$ 800 mil, a cobrança de 8%.

Os deputados que votaram a favor do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) foram: Barbosinha (PSB), Beto Pereira (PDT), Jorge Taquimoto (PDT), Mara Caseiro (PTdoB), Paulo Correia (PR), Antonieta Amorim (PMDB), Eduardo Rocha (PMDB), Maurício Picarelli (PMDB), Renato Câmara (PMDB), Angelo Guerreiro (PSDB), Flávio Kayatt (PSDB), Onevan de Matos (PSDB), Rinaldo Modesto (PSDB), Zé Teixeira (DEM), Márcio Fernandes (PRdoB) e Lídio Lopes (PEN).

O placar final ficou esses 16 deputados contra os seis a seguir, que recusavam o pacote de impostos: Felipe Orro (PDT), Marquinhos Trad (PMDB), Pedro Kemp (PT), Amarildo Cruz (PT) , Cabo Almi (PT), João Grandão (PT).