TCE MAIO
(67) 99826-0686
PMCG - Prestação de contas

Vou ficar firme dentro do partido, diz vice-prefeito

Outra expulsão

21 JAN 2014
Lucas Arruda
11h00min
Foto: Divulgação

Na manhã de ontem o prefeito Alcides Bernal (PP) afirmou que pretende expulsar o vice-prefeito Gilmar Olarte do partido por ter cometido atos de extrema infidelidade partidária. Rebatendo as acusações, Olarte diz que não existe nenhuma infidelidade ao partido e que não pretende sair do partido.

"Primeiro não cometi nenhum ato de infidelidade, neste primeiro ano tenho ficado em silêncio", ressalta. "Vou ficar firme dentro do partido. O povo de Campo Grande é sábio e entendido, sabe o que está acontecendo", acrescenta referindo-se ao primeiro ano de gestão de prefeito.

Bernal disse que Olarte quer compartilhar a prefeitura com adversários e que também pretende chegar ao poder. Além disso, ele também é acusado de dizer frases que afrontavam a imagem e moral do prefeito em encontros casuais.

Em sua defesa protocolada no dia 17 de janeiro e enviada ao presidente Ulisses Duarte da Comissão de Ética, Disciplina e Fidelidade Partidária do PP/MS, o vice-prefeito ressalta que a denúncia é infundada e inverídica. "Todos sabem da situação que o Prefeito Alcides Bernal vem enfrentando e comentam sobre o caso, ainda mais quando se encontram com o seu Vice-Prefeito", declara.

De acordo com o que disse em sua defesa, estes comentários são normais. " Certamente nesses encontros narrados na denúncia, o requerido disse uma coisa, que foi interpretado de outra forma", argumenta.

Ainda na defesa Olarte frisa que nunca foi sua intenção denegrir a imagem de um aliado político, já que venceram a eleição juntos. "Portanto tal denúncia não passa de uma insatisfação dos filiados do PP que outrora também estão a denegrir a imagem do Vice-Prefeito, tentando criar uma situação de desavença entre o Prefeito e o Vice-Prefeito do Município de Campo Grande", acrescenta.

Outro caso - Na semana passada o prefeito já havia anunciado que pretendia expulsar o vereador Chocolate do partido, acusando-o de traição partidário, pois em outubro o vereador votou a favor da abertura da Comissão Processante instaurada para investigar atos de improbidade administrativa na gestão de Bernal.

O vereador afirma que já recebeu a notificação de expulsão e já até protocolou sua defesa e fez o que achou melhor para Campo Grande na época. "Se o prefeito está sendo acusado de algo ele tem que se defender, sei que o povo quer ouvir essa defesa", reflete.

Segundo ele, Bernal pretende tomar seu cargo, mas isso não será possível, já que foi eleito de forma democrática. "Ele também vai tentar isso, mas consegui meu mandato através do povo e isso não pode ser tirado", finaliza.

Veja também