Menu
Busca sábado, 06 de junho de 2020
Camara - corona
Política

Zeca e Delcídio esquentam disputa em diretórios municipais do PT

Força

09 novembro 2013 - 12h27Por Juliene Katayama

Em clima de guerra, a eleição dos diretórios municipais do PT será realizada neste domingo (10). A votação mais acirrada será a de Campo Grande em que o senador Delcídio do Amaral (PT) e o ex-goverandor, vereador Zeca do PT, estão trabalhando diretamente para a escolha do novo presidente.

O atual presidente municipal, Gildo de Oliveira, pertence ao grupo de Delcídio. O dirigente disputa a reeleição. A outra candidata é Elza Jorge que disputou uma cadeira na Câmara Municipal da Capital. A petista tem apoio do deputado federal Antônio Carlos Biffi e de Zeca. O deputado federal Vander Loubet estava apoiando Elza, mas a pedido de Delcídio levantou a bandeira de Gildo.

Além da preocupação na Capital, Zeca tem percorrido todo o interior para reforçar a campanha de candidatos da corrente interna Construindo um Novo Brasil (CNB). "Esta corrente é a mais forte no País. É a tendência", afirmou o petista. Apesar do esforço para difundir a CNB, Zeca disse que liberou a corrente para a votação de amanhã.


Em decorrência das duas forças do partido, a eleição em Campo Grande está bem acirrada. "Eu não aposto. Está meio a meio", resumiu Zeca. Para ele, a disputa é positiva para o PT. "É positiva a disputa interna porque representa o debate político", pontuou.

Leia Também

VÍDEO: para rebater Bolsonaro, JN aciona 'plantão' sem necessidade e divulga dados da covid
Geral
VÍDEO: para rebater Bolsonaro, JN aciona 'plantão' sem necessidade e divulga dados da covid
Ministro Marco Aurélio autoriza Jamil Name a voltar para presídio do MS
Cidade Morena
Ministro Marco Aurélio autoriza Jamil Name a voltar para presídio do MS
TRÁGICO: brasileiros mortos pela covid-19 já passam dos 35 mil
Geral
TRÁGICO: brasileiros mortos pela covid-19 já passam dos 35 mil
ABSURDO: Fachin proíbe operações policiais em favelas do Rio durante pandemia
Geral
ABSURDO: Fachin proíbe operações policiais em favelas do Rio durante pandemia