Menu
Busca sábado, 16 de novembro de 2019
Ribas do Rio Pardo

Além de sofrimento com hemodiálise, pacientes padecem em van sem ar-condicionado

Filha de idosa diz que sensação chega a 40ºC no veículo

06 novembro 2019 - 07h00Por Thiago de Souza

Pacientes renais de Ribas do Rio Pardo enfrentam uma dupla dificuldade quando vêm a Campo Grande fazer hemodiálise: as quatro horas na máquina para filtrar o sangue e a ida e volta em uma van com o ar-condicionado quebrado há pelo menos um ano. A denúncia já é conhecida na cidade que fica a 80 km da Capital, mas até hoje não ganhou uma solução.

A denúncia é da dona de casa Cléa de Souza Carlos, 33 anos, acompanhante de uma idosa de 60 anos. Ela conta que os pacientes - cerca de 12 - saem de madrugada em direção a Campo Grande e enfrentam 1h30 de viagem.  

''Desde quando comecei a acompanhar minha mãe, o ar-condicionado está com defeito'', garante Cléa.

Os pacientes e acompanhantes voltam para Ribas por volta do meio-dia - horário mais quente do dia. A filha supõe que a sensação térmica no veículo lotado é de 40º C.

''Eles [pacientes] são bastante vulneráveis e reclamam demais dessa situação. A maioria é idosa, com diversos problemas de saúde'', desabafa a denunciante.

Ainda segundo a denúncia, vez em quando a van vai para oficina para reparos mecânicos e com ordenamento para consertar o refrigerador, mas sempre retorna com o mesmo problema.

Cléa diz ter ido à Câmara Municipal e conseguiu ajuda de uma vereadora para interceder junto à Secretaria Municipal de Saúde, onde a titular da pasta é Helenice Falcão. No entanto, todas as promessas de reparo não foram cumpridas.

Resposta

O responsável pela manutenção dos veículos da Secretaria da Saúde de Ribas do Rio Pardo, Livino Paniago, 33 anos, disse que as denúncias não procedem. Ele explicou que o defeito no ar tem apenas quatro meses e não um ano. Também que o problema atinge somente a parte traseira do veículo e o ar condicionado da frente não tem problemas.

Livino destacou que a van foi para conserto em Campo Grande, mas que a oficina teria devolvido o veículo diante de pressões de pessoas que não aceitavam que a prefeitura fretasse ônibus para levá-los para a Capital e também teriam ameaçado denunciar a empresa ao Ministério Público.

Ainda segundo o funcionário, a van está autorizada a ir para o conserto nos próximos dias e enquanto isso outra van, recém adquirira pela prefeitura vai transportar os pacientes.

Outro caso

O TopMídiaNews já denunciou caso semelhante, mas em Porto Murtinho. Pacientes renais tinham de dividir a van da Saúde com caroneiros e sacoleiros.

Acompanhantes de pacientes, que enfrentam cerca de seis horas de viagem, não podiam ir, já que parte do espaço era destinado a mercadorias dos sacoleiros.

A Secretaria de Saúde de Murtinho negou as acusações e disse que não havia nenhuma reclamação formalizada no órgão.