TCE Julho  17 a 19/07 e 22 a 25/07
(67) 99826-0686
PMCG - REFIS 01 a 30/07/2019

'Falta humanidade', diz grávida que perdeu exame e levou deboche de servidora na UBS Coophavilla

'Quer meu nome completo?', teria dito a funcionária em frente das colegas

10 JAN 2019
Thiago de Souza
09h30min
Gestante reclama de desumanidade em UBS Foto: Repórter Top

Gestante de sete meses, que acordou de madrugada para coletar sangue na UBS Coophavilla II, na manhã desta quarta-feira (9), em Campo Grande, saiu da unidade com a sensação que falta humanidade no atendimento aos pacientes. Ela diz que chegou três minutos atrasada para o exame e ainda teria ouvido de uma servidora: ''pode reclamar, quer meu nome completo?''.

Karen Stiegler conta que chegou à unidade bem cedo e entrou na espera. Ao ver que a fila não andava, questionou se ali era o local correto e fora informada que não. Ao se dirigir ao setor da coleta, chegou três minutos atrasada e não conseguiu atendimento por causa do horário.

''Da outra vez que precisei coletar sangue, cheguei às 6h10 e fui ser atendida às 6h40. Agora, por causa de três minutos, não pude'', destaca emocionada.

Karen questionou as funcionárias e teve como resposta que o sistema fecha para tirar a etiqueta. Ela garante que implorou para ter o serviço, mas ouviu que não seria aberta exceção nesse caso, mesmo ela estando grávida.

''Eu era a ÚNICA pessoa ali. Ela me deu as costas várias vezes. Falei que iria reclamar e a senhora da coleta disse: 'mas reclame mesmo, reclama no prefeito, onde você quiser, pra gente isso e bom!', desabafou a gestante.  

''Falei que era falta de humanidade, pois moro longe, precisei vir de Uber e ela disse: 'falta de humanidade mesmo, pode reclamar e volta amanhã. Quer meu nome completo?' e fechou as portas da sala de coleta e foi rir com as colegas dela'', denuncia.

A paciente diz que tentou ligar na Ouvidoria da Sesau, mas ninguém atendia. ''E o pior que a humilhação foi na frente de todas as funcionárias'', acrescenta. Karen garante que não volta a unidade e teme que as funcionárias sejam cruéis com ela.

Outro lado

Procurada pelo TopMídiaNews, a Secretaria Municipal de Saúde foi informada pela gerência da UBS que a paciente é usuária do sistema de saúde e tem ciência dos horários dos serviços. Mesmo orientada a voltar no outro dia, ela passou a questionar as funcionárias.

''Em nenhum momento as servidoras teriam desrespeitado a paciente. A SESAU lamenta esse tipo de episódio e reforça que o cidadão, por sua vez, tem os canais formais para protocolar suas denúncias, críticas, reclamações e elogios, que é a Ouvidoria SUS que tem atendimento presencial e por telefone 3314-9955'', escreveu.

Veja também