TCE Novembro
Menu
segunda, 29 de novembro de 2021 Campo Grande/MS
CAMARA - vacinaçao
Repórter Top

Repórter Top: homem passa mal em corredor e paciente denuncia descaso

O paciente apresentava sangramento pelo nariz e teve hemorragia

21 outubro 2018 - 11h28Por Dany Nascimento

Uma leitora do TopMídiaNews flagrou o momento em que um paciente chegou no CRS Aero Rancho, em Campo Grande, passando mal na manhã deste sábado (20), mas ele não teria sido atendido de imediato. Conforme a leitora, o homem apresentava forte sangramento no nariz teve hemorragia, enquanto que os funcionários e médicos diziam “que nada poderiam fazer”.

“Ele estava com sangramento no nariz, aí deu hemorragia, médicos e funcionários ficaram dando risada falando que não podem fazer nada”, diz a mulher.

Ela afirma ainda que ninguém se prontificou a atender o homem, que ficou ajoelhado no corredor com sangramento. “Ninguém  quis atender alegando não ter maca. Durante a semana toda só tem um médico prestando atendimento no local”.

Prefeitura

O TopMídiaNews entrou em contato com a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), que negou a denúncia de que os funcionártios e médicos não atenderam o homem. 

"Paciente deu entrada com quadro de epistaxe, que é sangramento nasal bastante significativa, foi prontamente acolhido e encaminhado para passar por avaliação do médico. A área onde o paciente estava que pode ser vista na imagem é a espera para já ser atendido. Conforme as informações da unidade, provavelmente ele tenha deglutido sangue o que provocou vomito resultando no que pode ser visto na imagem. Diante deste episódio uma enfermeira acionou prontamente o médico que estava em atendimento e ele foi levado para a enfermaria onde permanece em observação".

"É totalmente improcedente a informação de que os servidores teriam feito chacota da situação do paciente. Isso não condiz com a conduta ética e moral de nenhum deles. A unidade possui sim maca para atendimento de urgência; O paciente neste momento encontra-se em observação e foi solicitado transferência para uma unidade hospitalar para que ele possa passar por uma avaliação de um especialista e exames complementares", destaca.