Menu
domingo, 20 de setembro de 2020
Saúde

Posto lotado e médicos parados? Sesau quer pagar médicos por produtividade ao invés de horas

Proposta está em fase embrionária e projeto deverá ser encaminhado à Câmara Municipal

06 junho 2019 - 13h10Por Rodson Willyams

O médico José Mauro Pinto de Castro Filho, que há dois meses assumiu o comando da Secretaria Municipal de Saúde, estuda mudar a forma de contratualização de médicos para a rede municipal de saúde.

Com déficit de profissionais, o projeto ainda embrionário quer alterar a contratação, que atualmente é feita por carga horária, para ganho por produtividade.

A proposta segue em estudo pela Sesau para ser encaminhada à Câmara Municipal, porém não há uma data prevista.

Conforme a assessoria de imprensa da Sesau, "o projeto não amplia a quantidade de profissionais, só altera a forma de contratualização de horas trabalhadas por produtividade".

E emenda: "a ideia é ser mais vantajoso para o serviço e consequentemente deve ter uma melhora na remuneração do profissional. Porém, o impacto maior seria na assistência".

Mesmo assim, a forma de oferecer um estímulo para que novos profissionais possam entrar na rede municipal de saúde pode não garantir a inserção de mais médicos à população. "Mais é mais vantajoso para o profissional, e mais fácil ele aderir ao serviço".

Déficit de médicos

Em novembro de 2018, o então secretário Marcelo Vilela havia confirmado ao TopMídiaNews que a Sesau apresentava um déficit de 80 profissionais para compor a rede de urgência e emergência da Capital. Segundo ele, a desistência dos profissionais ocorria pelo receio do serviço público de saúde ser considerado 'exaustivo' e pesa, ainda, as más condições das unidades de saúde.

Leia Também

Prefeito em MS ameaça dar tiro em bolsonaristas
Polícia
Prefeito em MS ameaça dar tiro em bolsonaristas
Chuva pode dar as caras já neste sábado e no domingo em Campo Grande
Cidade Morena
Chuva pode dar as caras já neste sábado e no domingo em Campo Grande
Brasil tem 739 mortes pela covid-19 em 24 horas, diz Ministério da Saúde
Geral
Brasil tem 739 mortes pela covid-19 em 24 horas, diz Ministério da Saúde
Saudade é tanta, que um ano após perder o filho, Thayelle ainda escuta Miguel chamar
Entrevistas
Saudade é tanta, que um ano após perder o filho, Thayelle ainda escuta Miguel chamar