ALMS CONTAR 25/06 A 27/06
(67) 99826-0686
PMCG - SLOGAN 17/06 A 30/06

Pacientes do HU continuarão recebendo serviços anestesiologistas por tempo indeterminado

HU

26 NOV 2013
Ana Rita Chagas
07h10min
Foto: Geovanni Gomes

Até que cheguem a um consenso nas negociações, o Hospital Universitário e a empresa Servan Anestesiologia continuarão a atender, com serviços de anestesia,  pacientes que já estavam com cirurgias agendas e os demais que aguardam na fila de espera. De acordo com o diretor do HU, Cláudio Saab, o impasse para acertar os valores dos serviços prestados pela Servan ainda não terminaram, porém, os profissionais terceirizados seguirão com os procedimentos normais, até a última ordem.

A diretoria do HU optou pela decisão para não prejudicar os pacientes.  Na semana passada, Saab  informou, por meio de comunicado,  que o HU suspenderia as cirurgias, temporariamente, a partir de hoje (26),  devido a rescisão do contrato com a empresa Servan.

Demanda – Atualmente, o HU tem uma demanda de 350 cirurgias por mês e apenas três anestesistas, que não são terceirizados. Os demais prestam serviços por meio da Servan. Ou seja, 97% dos  anestesiologistas estão filiados à empresa, que resiste em não aceitar a tabela de preços estipulada pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Pela legislação brasileira, hospitais  mantidos, exclusivamente, pelo Sistema Único de Saúde não podem adotar preços ou reajustes de valores com base em outra tabela que não seja a adotada por lei.

Paralisação - Esta é a quarta vez que a empresa  SERVAN sinaliza a paralisação da prestação de serviços de anestesiologia, em função dos valores exigidos pela empresa.  De acordo com MPF (Ministério Público Fedral), em 2009, o hospital São Julião, precisava de duas anestesistas para atender a demanda da unidade. Na ocasião, as cirurgias eletivas, do hospital , custeada pelo SUS foram suspensas até reajustar os serviços da Servan. No mesmo ano, a Santa Casa também teve as atividades paralisadas por mais de três meses em razão de sua impossibilidade financeira de atender a remuneração definida pela empresa. Em novembro de 2010, a Servan ameaçou suspender os atendimentos no Hospital Regional, durante tratativas de pagamentos de valores atrasados. 

Alternativas– Como forma de solucionar o problema, o Ministério Público Federal recomendou ao HU, a abertura de edital de concurso para suprir a demanda de vagas de anestesiologistas do hospital. O MPF também está cobrando da justiça que a empresa Servan Anestesiologia reduza para 20% o número de médicos credenciados à empresa.

Veja também