Menu
domingo, 29 de maio de 2022 Campo Grande/MS
TOP MIDIA INSTITUCIONAL SUPER BANNER
Saúde

Com covid e sinais de eclâmpsia, grávida está há 3 dias tentando cesárea (vídeo)

Após peregrinação em hospitais, paciente continua aguardando cirurgia no HR; marido denuncia descaso: "está sangrando e sozinha"

27 janeiro 2022 - 13h23Por Rayani Santa Cruz

Em desespero e denunciando descaso no atendimento, um jovem de 27 anos afirma que a esposa de 22 anos está com 40 semanas de gestação, em trabalho de parto, sangrando e aguardando há cinco horas uma cirurgia cesariana no Hospital Regional, em Campo Grande.

Ele conta que a mulher foi diagnosticada ontem (26) com covid-19 e está com sinais de eclâmpsia, o que causa ainda mais preocupação. 

A parturiente chegou ao HR após encaminhamento da Cândido Mariano, local onde ela se consultou e foi constatada a covid. O marido cita que, após chegar ao HR, a médica local prometeu que a cirurgia seria realizada até às 11h de hoje, mas até agora nada foi feito e a mulher está isolada em uma sala e sangrando.

O marido diz que tentou falar com a médica e outros funcionários, mas ninguém deu atenção ou respostas sobre a esposa.

“Ela está sozinha há uma hora na sala de parto, sangrando, mas ninguém faz nada.  Subiram ela para a sala e ela está sangrando há uma hora. Ela está sozinha. Estou desesperado aqui embaixo, deixei com ela um carregador e não foi entregue. É um descaso. Não informam nada.”

Peregrinação

Segundo, o rapaz que preferiu não se identificar, a mulher fez pré-natal na UBS do bairro Nova Lima, onde eles residem. Ela foi encaminhada na segunda-feira (24) para realizar o parto na Santa Casa, com indicação de realizar cesária ou parto induzido, mas após consulta no local foi mandada de volta para a casa.

Segundo ele, a assistente social da Santa Casa disse que não havia vaga em nenhum local. Eles foram para a Cândido Mariano, mas também foram orientados para ir para a casa. Isso tudo na segunda.

Na quarta-feira (26) ela acordou já acordou com sintomas de covid-19, além da dor do parto. Sintomas de eclampsia com pressão muito alta. O casal foi novamente a Cândido Mariano, onde receberam encaminhamento para o RH por conta dos sintomas de covid da parturiente.

Ela deu entrada às 15h de quarta-feira (26) no Hospital Regional onde aguarda ser atendida. 

“É a nossa primeira filha. Passamos por três hospitais e todos disseram que era para nascer na segunda. Mas, como ela teve eclampsia e covid, eles encaminharam para o Hospital Regional porque é o de referencia nesses tratamentos. Estou muito preocupado com ela e com o bebê. Só quero que eles fiquem bem e sejam atendidos”, disse o marido. 

Atualização

Após contato da redação com o hospital, o marido da parturiente informou que ela teve a cirurgia realizada às 12h30. 

O que diz o HR?

A assessoria de comunicação do Hospital Regional foi questionada sobre o atendimento da parturiente e disse em resposta:

“1 e 2 o HRMS não repassa informações de pacientes à imprensa. Há que se preservar o sigilo médico/paciente. 

Observação:
1.    Todos os casos nos campos, administrativo e assistencial são pautados nos ditames éticos e legais vigentes.

2.    O HRMS respeita o ato médico, sendo ele o médico, responsável em atribuir a melhor conduta para cada caso individualmente.

3.    Toda conduta médica é previamente discutido com as pacientes.

4.    Os médicos do centro obstétrico levam em consideração, ainda, a vida pós-parto da mãe, a possibilidade de ter novos filhos e a condição do útero para suportar uma nova gestação.

5. Quaisquer informações adicionais, a família ou as pacientes devem procurar a ouvidoria do Hospital Regional para que possamos respondê-los de forma oficial.”

 

(Matéria atualizada às 13h55 para acréscimo de informações sobre horário de cirurgia da paciente)