TJMS JANEIRO
Menu
sexta, 21 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Saúde

Espera para consultas leva até oito anos na saúde pública de Campo Grande

20 dezembro 2015 - 15h13Por Dany Nascimento

Falha da Prefeitura de Campo Grande diante da fila de espera para procedimentos especializados oferecidos pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) deixa a população por anos esperando por atendimento. O tempo de espera para primeira consulta com um neurologista pode demorar oito anos e para neurocirurgia, dois anos. Os dados são de relatório elaborado pela CGU (Controladoria-Geral da União).

 

"Com base nas informações que constam no Relatório extraído do Sistema SISREG relativo ao período de 25 de junho de 2015 até 30 de junho de 2015, verificou-se que o tempo de espera para primeira consulta pode perdurar por mais de dois anos para Neurocirurgia e oito anos para Neurologia", diz o documento.

Diante disso, a prefeitura da Capital informou que reuniões são realizadas e documentos são enviados para os gestores responsáveis com objetivo de solucionar a deficiência apontada. "A regulação é pauta permanente nas reuniões da Comissão Intergestora Bipartite - CIB e sempre que necessário são apresentados dados quanto ao acesso da população referenciada. O acompanhamento da fila de espera é diário e mensalmente encaminhados relatórios para os Gestores”.

Porém, o relatório destaca que mesmo tendo conhecimento da demora no atendimento, a prefeitura da Capital não apresenta procedimentos para agilizar o atendimento, afetando diretamente a sociedade que depende do sistema para cuidar da saúde.

"Apesar de o município possuir a informação do Sistema SISREG, com a situação da fila de espera para os procedimentos especializados, não foram identificados mecanismos, ou registros de atuação imediata para responder às necessidades da população pelos serviços de saúde. Nota-se que nos procedimentos cuja fila de espera chega a 2914 dias (cerca de 8 anos), como é o caso Neurologia, não foram identificadas atuações no sentido de suprimir o reduzido número de profissionais contratados (três profissionais)", diz o relatório.

De acordo com a tabela apresentada no relatório, cinco especialistas estão disponíveis para Neurocirurgia e a demanda da fila de espera no período de 25 de junho de 2015 até 30 de junho de 2015, era de 1.860 pacientes. Deste total, 1.632 aguardavam para a primeira consulta.

 

Já a demanda da fila de espera para neurologia aponta um número estrondoso, já que a rede conta apenas com o atendimento de três especialistas. Cerca de 6.303 pacientes aguardavam atendimento de 25 de junho de 2015 até 30 de junho de 2015 e 4.546 esperavam pela primeira consulta com o especialista.

  


Conforme o relatório, os pacientes que necessitam dos atendimentos citados abaixo, aguardam três meses na fila de espera:

Angiologia Cirúrgica, Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Cirurgia Geral, Endocrinologia Adulto, Hematologia Geral, Neurologia Pediátrica, Neuroftalmologi, Oftalmologia acima de 60 anos, Oftalmologia Córnea, Oftalmologia Estrabismo, Oftalmologia Pediátrica, Oftalmologia Plástica Ocular, Oftalmologia Pterígio, Oftalmologia Retina Geral, Ortopedia Adulto Coluna, Ortopedia Adulto Joelho atendimento clínico, Ortopedia pediatria atendimento clínico, Ortopedia joelho atendimento clínico e cirúrgico, Proctologia cirúrgica, Psiquiatria Adulto, Psiquiatria Pediatria, Reumatologia Adulto, Urologia Cirurgia, Urologia Pediatria.

A prefeitura foi convocada por meio de ofício para se manifestar diante dos fatos relatados, mas não se manifestou. "Por meio do Ofício no 21.819/2015/GAB/CGU-Regional/MS de 17/09/2015, a Prefeitura Municipal de Campo Grande foi instada a manifestar-se a respeito dos fatos ora relatados pertinentes à execução da Política de Regulação no município de Campo Grande/MS. No entanto, não houve manifestação da Prefeitura relacionada a esse item", diz o documento.