TJMS - novembro
Menu
Busca quinta, 21 de novembro de 2019
Saúde

Mulher quase morre após injetar remédio caseiro para “melhorar a saúde”

Pouco tempo após dar inicio a terapia intravenosa com o suco, a mulher desenvolveu febre e coceiras na pele

20 março 2019 - 09h01Por Da redação/Veja SP

Uma mulher chinesa quase morreu após injetar diretamente na veia o suco de mais de vinte tipos de frutas. A paciente de 51 anos, que tem o sobrenome Zeng, resolveu usar um remédio popular para melhorar a saúde — e achou que absorveria os nutrientes mais rapidamente se injetasse o conteúdo. As informações são do Daily Mail. Pouco tempo depois de dar inicio à terapia intravenosa com o suco, a mulher desenvolveu febre e coceiras na pele, sendo levada ao hospital em Chenzhou, na província de Hunan.

Num primeiro momento, ela ignorou os sintomas e só foi encaminhada ao centro médico quando seu marido descobrir que ela havia aplicado a infusão com frutas. A mulher foi internada no dia 22 de fevereiro, mas a equipe transferiu a paciente para um hospital universitário, onde ela ficou na UTI. O médico Liu Jianxiu revelou à imprensa local que a mulher sofreu uma severa infecção, que causou danos ao coração, rins e fígado.

O estado delicado da paciente também foi confirmado, e ela corria o risco de sofrer com falência múltipla de órgãos e até sepse, informou o profissional. Os médicos conseguiram limpar o sangue da mulher usando diálises, prescrevendo antibióticos e injetando agentes coagulantes. Após cinco dias na UTI, o estado da paciente melhorou e ela foi encaminhada pela unidade responsável pelos rins.

A equipe médica revelou que a mulher conseguiu fazer a terapia intravenosa enganando um médico: ela fingiu que estava doente e, quando o médico deixou sua residência, ela trocou o remédio pelo suco de frutas. “Eu achava que frutas eram nutritivas e que nunca poderiam causar algum dano se injetadas no meu sangue”, contou Zeng. O médico Jianxiu fez um alerta após a repercussão da história: pessoas não devem seguir nenhum tipo de prática que não tenha base científica.