Menu
segunda, 17 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Saúde

Mundo conseguiu atingir meta de redução dos casos de malária

04 dezembro 2015 - 18h35Por ONU

A ONU afirmou que o mundo conseguiu atingir o Objetivo de Desenvolvimento do Milênio, ODM, número seis que busca deter e reverter a incidência de malária até o fim deste ano.

Segundo a iniciativa da Organização Mundial da Saúde e da parceria "Roll Back Malaria", isso foi possível graças aos esforços coletivos e ao aumento dos financiamentos no setor.

Os progressos alcançados na luta contra a doença desde o ano 2000 conseguiram evitar a morte de mais de 6,2 milhões de pessoas, sendo 97% delas crianças.

O presidente da Assembleia Geral da ONU, Mogens Lykketoft, afirmou que "o sucesso mundial para reverter os casos de malária mostra o que pode ser atingido com a determinação e a parceria corretas".

Ele disse que o resultado fornece "inspiração a todas as nações que buscam criar um ambiente saudável para as crianças e adultos".

Lykketoft declarou que "o mundo pode e deve eliminar a malária até 2030". Para o chefe da Assembleia Geral, isso vai exigir a implementação da nova estratégia desenvolvida pela parceria "Roll Back Malaria" e pela OMS.

A ONU afirmou que somente na África, onde são registradas 90% das mortes de malária, houve uma redução de 69% no número de óbitos entre crianças com menos de cinco anos desde o ano 2000.

Atualmente, mais de 100 países estão livres da doença e pelo menos outros 55 caminham para reduzir a incidência da doença em 75% até o final do ano.

Pelos dados da OMS e da parceria "Roll Back Malaria", pela primeira vez na história menos pessoas estão sendo infectadas na África.

Além disso, muitos países não só na África, mas também nas Américas, no Mediterrâneo e na Ásia-Pacífico têm como meta a eliminação da doença.

Apesar dos avanços, a OMS alerta que 214 milhões de casos de malária vão ocorrer este ano. A doença deve matar 472 mil pessoas, sendo a maioria crianças menores de cinco anos na África.

Com mais da metade da população mundial em risco de contrair uma infecção, a malária continua sendo uma das principais causas e consequência de pobreza e desigualdade no mundo.

Mas para alcançar a meta de eliminar a doença até 2030, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse que são necessários mais investimentos.

Na Conferência Internacional sobre Financiamento para Desenvolvimento, realizada em Adis Abeba, em julho, os países participantes debateram os planos para atingir essa meta.

Segundo a parceria "Roll Back Malaria", o mundo vai precisar investir US$ 100 bilhões para reduzir em 90% a incidência da doença até 2030.

Além disso, outros US$ 10 bilhões vão ser necessários para financiar pesquisas e o desenvolvimento de novas técnicas, incluindo medicamentos e inseticidas.

Os especialistas explicam que os investimentos anuais devem aumentar para US$ 6,4 bilhões até 2020, comparados com os US$ 2,7 bilhões registrados em 2013.