TJ BANNER JUNHO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
sábado, 25 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
Saúde

OMS manda especialista para investigar origem da Covid-19 na China

Os dois investigadores da OMS são especialistas em saúde animal e epidemiologia

10 julho 2020 - 11h12Por Dany Nascimento

Uma equipe foi criada pela Organização Mundial da Saúde para investigar as origens do novo coronavírus. Os profissionais foram para a China nesta sexta-feira (10), anunciou a porta-voz da organização.

De acordo como G1, o escopo do trabalho ainda será definido, mas a viagem ocorre um dia após a OMS anunciar a formação de uma comissão independente para avaliar a resposta internacional à pandemia de Covid-19.

Os dois investigadores da OMS são especialistas em saúde animal e epidemiologia. Eles devem trabalhar com cientistas chineses para determinar a abordagem e os rumos da investigação, disse Margaret Harris, representante do braço da ONU responsável pela saúde. Durante a visita à China, serão negociados assuntos que dizem respeito a quem serão os outros integrantes da equipe investigativa e quais habilidades deverão possuir:

“Uma das grandes questões que todos estão interessados em saber e, claro, é por isso que estamos mandando um especialista em saúde animal, é entender se o vírus passou ou não de um animal para os humanos e, se sim, de qual espécie [do animal]”, disse Harris, em Genebra.

De acordo com a porta-voz, o Sars-CoV-2 é bastante similar ao coronavírus encontrado em morcegos, mas é necessário entender também se teve algum hospedeiro intermediário antes do vírus ser transmitido para seres humanos — uma das teorias mais aceitas neste momento.

Acredita-se que paciente zero tenha se contaminado no final de 2019 no mercado central da cidade de Wuhan, capital da província central de Hubei. Os primeiros casos de Covid-19 foram oficialmente notificados à OMS no dia 31 de dezembro, mas testes retroativos apontam que o microorganismo já circulava em diversos países ocidentais meses antes, inclusive no Brasil.