Menu
quarta, 28 de outubro de 2020
Saúde

Setembro Amarelo: MS conta com ações de divulgação do CVV e apoio para famílias em luto

O mês foi instituído no calendário de Mato Grosso do Sul há cinco anos; veja ações dos deputados pela saúde mental da população

27 setembro 2020 - 18h10Por Rayani Santa Cruz

Há cinco anos, o mês de setembro tem ações de conscientização e prevenção ao suicídio em Mato Grosso do Sul. A inclusão do Setembro Amarelo no Calendário Oficial de Eventos do Estado foi realizada após a sanção da Lei 4.777, de autoria da ex-deputada deputada Mara Caseiro, e publicada no Diário oficial em sete de dezembro de 2015.

De lá pra cá, deputados realizaram audiências públicas para discutir a problemática e passaram a desenvolver ações e projetos de lei para o mês, buscando políticas de prevenção. 

Projetos de lei

O deputado Marçal Filho (PSDB) apresentou projeto de lei que determina a afixação de cartaz informando o telefone do Centro de Valorização da Vida – o 188 – em locais de fácil visualização em espaços públicos, com grande circulação de pessoas. A proposta foi sancionada pelo governador Reinaldo Azambuja, em 2019.

Mais recente, o Projeto de Lei 163/2020, apresentado há um mês pelo deputado Antônio Vaz (Republicanos), propõe que o Poder Executivo possa efetuar a contratação emergencial de psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais e terapeutas ocupacionais dentro da estrutura da Secretaria de Estado de Saúde (SES), para garantir tais atendimentos enquanto persistir a pandemia.

O projeto prevê a contratação por seis meses, podendo ser prorrogada por igual período e o atendimento, se aprovado, será garantido a adultos, crianças e idosos. A Secretaria de Estado de Saúde deverá definir o quantitativo de profissionais a serem contratados de acordo com as unidades de saúde aptas a realizarem os atendimentos. A matéria segue para análise da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR), antes de ser apreciada em plenário.

Dados

Segundo a Alems, MS figura entre os estados brasileiros com maior índice de suicídios no Brasil de acordo com dados do Ministério da Saúde. E por isso é necessário que o poder público discuta o tema. 

O presidente da Assembleia, deputado Paulo Corrêa (PSDB) destacou que “não apenas a saúde física, mas também a saúde mental precisa estar em nosso horizonte de preocupação”.

Frente

A Casa de Leis conta atualmente com a Frente Parlamentar em Defesa da Saúde Mental e Combate à Depressão e ao Suicídio, coordenada pelo deputado Marçal Filho (PSDB). 

Ajuda a quem ficou

Quem perdeu um ente querido por uma doença tão cruel pode buscar por terapia e por ajuda, para passar pelo período de luto e ser ouvido. 

Em Mato Grosso do Sul existe o Grupo de Apoio Espiritual às Pessoas Enlutadas (GAEPE). Não é um grupo de terapia, embora conte com duas psicólogas voluntárias, e não é um grupo religioso especificamente. É um grupo que aceita a participação de qualquer pessoa que sofra pela perda de alguém querido.

Governo do Estado

A Secretaria Estadual de Saúde promove seminários e palestras em vários setores públicos todos os anos abordando o tema como forma de conscientizar servidores e melhorar o atendimento. 

Serviço:

Centro de Prevenção ao Suicídio (CVV) – 188

GAEPE - O grupo se reúne todos os sábados, às 9h30, no piso superior da loja Arquitécnica, na rua Dom Aquino, 431, bairro Amambaí.

Leia Também

Sinpol apoia combate à covid e vai fazer testes em policiais no feriadão em Bonito
Cidades
Sinpol apoia combate à covid e vai fazer testes em policiais no feriadão em Bonito
Juiz nega recurso e mantém candidatura do PCO barrada em Campo Grande
Cidade Morena
Juiz nega recurso e mantém candidatura do PCO barrada em Campo Grande
Apesar da promessa, governo diz que não tem previsão de pagar 13º do Bolsa Família
Geral
Apesar da promessa, governo diz que não tem previsão de pagar 13º do Bolsa Família
Em horário noturno, candidatos citam distritos e corredor de ônibus em Campo Grande
Cidade Morena
Em horário noturno, candidatos citam distritos e corredor de ônibus em Campo Grande