Menu
Busca quarta, 23 de outubro de 2019
Top Ms
Top Esporte

Acabou a maior tristeza na vida de Pelé. O filho, Edinho, saiu da cadeia

O ex-goleiro do Santos cumprirá em liberdade a pena por lavagem de dinheiro e tráfico de drogas. Ter o filho preso desiludiu o melhor jogador de todos os tempos

26 setembro 2019 - 16h24Por Da redação/Portal R7

Acabou a maior tristeza de Pelé, sua maior decepção, seu filho, seu primogênito, a quem fez questão de colocar o seu próprio nome. Edson acaba de sair da cadeia, a quarta vez desde 2005. Ele estava preso há dois anos, desde fevereiro de 2017, por conta da condenação no envolvimento em lavagem de dinheiro e tráfico de drogas.

Edinho chegou a ser condenado a 33 anos de prisão, em maio de 2014, mas teve pena diminuída para 12 anos e 11 meses, em 2017 e ganhou o regime aberto por bom comportamento pelo trabalho treinando crianças na cidade de Tremenbé.

O primeiro problema de Edinho com a justiça foi em 1992, quando ele e o motorista profissional Marcilio José Marinho de Melo participavam de um racha na avenida Epitácio Pessoa, em Santos, na madrugada de 24 de outubro de 1992, o  carro dirigido por Marcílio atingiu a moto do aposentado Pedro Simões Neto, que bateu em um poste.

A vítimma morreu na hora e filho de Pelé foi condenado a indenizar a esposa de Pedro Simões, mas o grande escândalo envolvendo Edinho aconteceu no dia dia 6 de junho de 2005. Depois de meses de investigação, a polícia conseguiu acabar com uma quadrilha especializada em tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

Entre as mais de 50 pessoas detidas, estava o outrora atleta do Santos, até então Edinho era conhecido por jogar futebol como goleiro. Foi um escândalo na época.

"O Edinho fala a verdade, não teve nenhuma culpa. Até agora, não tem nada que comprove a prisão. Mas eu acredito na Justiça. Logo tudo será resolvido, e ele vai sair [da prisão] sem problema algum", se iludia Pelé, quando o filho foi preso em Presidente Prudente.

Edinho foi preso depois de investigação do Denarc (Departamento de Investigações sobre Narcóticos). Sua ida ao presídio do interior paulista, em 28 de junho de 2005, foi decidida para protegê-lo de supostas ameaças de morte de facções criminosas.

Pelé estava errado na sua previsão e teve de acompanhar o filho sendo condenado. Ele se manteve sempre discreto, longe do assunto e apenas bancou os melhores advogados possíveis ao filho. Mas pessoas próximas ao melhor jogador de todos os tempos comprovam: a prisão de Edinho foi a pior tristeza de sua vida.

A menos de um mês de completar 79 anos, com grande dificuldade para se locomover, por conta de duas cirurgias nos quadris, Pelé recebeu na noite de ontem a notícia da libertação do filho. O ex-jogador de 49 anos vai morar no litoral paulista e para continuar solto, Edinho terá de cumprir obrigações.

Entre elas, obter ocupação lícita (trabalho) comprovada em até 30 dias, residência fixa, permanência no endereço informado entre 20h e 6h e está proibido de frequentar bares e casas de jogos, além disso também terá que comparecer em juízo uma vez ao mês. Pelo menos poderá abraçar o pai e acabar com a maior tristeza na vida de Pelé...