TCE Novembro
Menu
segunda, 29 de novembro de 2021 Campo Grande/MS
CAMARA - vacinaçao
Top Esporte

Após polêmica, Inter sugere VAR pelo 'bom senso' para minimizar erros na reta final do Brasileirão

Clube vê recurso de vídeo como saída para minimizar erros dos árbitros nas últimas rodadas

25 outubro 2018 - 13h24Por Globo Esporte

Revoltado com a arbitragem após o empate em 2 a 2 com o Santos, na última segunda-feira, no Beira-Rio, pela 30ª rodada do Brasileirão, o Inter se preocupa com os próximos jogos. À espera de melhoras no nível técnico dos árbitros, o Colorado sugere que o recurso de vídeo passe a ser utilizado para minimizar erros nas últimas rodadas do Brasileirão.

A ideia foi lançada pelo executivo Rodrigo Caetano em fala à imprensa na terça-feira, quando pediu "bom senso" à CBF para usar o VAR e ter menos polêmicas na reta final da competição. O dirigente ainda se disse inconformado com a súmula do árbitro e negou que tenha o chamado de "safado", conforme consta no documento.

– Acho que tem que evoluir e esperamos que essas rodadas que restam até o final sejam menos polêmicas, com o bom senso da CBF de inserir talvez o VAR já nessas rodadas finais. Talvez poderia ser uma solução para essa reta final. Não que vá extinguir todos os erros, mas vai minimizar bastante – afirma o executivo.

No início do ano, o Inter foi um dos clubes que votaram a favor do VAR no conselho técnico realizado pela CBF no início do ano. O uso do recurso foi negado por 12 votos a sete, devido ao modelo apresentado pela CBF, em que as equipes arcariam com os custos. Algo que é lamentado por Rodrigo Caetano. De acordo com o dirigente, é "difícil entender" como a tecnologia foi rechaçada devido a questões de valores, dadas as premiações vigentes nas competições.

O Inter dificilmente tentará uma articulação com os demais clubes interessados no uso do VAR para ter o recurso na competição. A expectativa mais realista é de que a tecnologia seja aprovada de vez em 2019.

– No mundo ideal (teria a discussão entre todos). Infelizmente, em um passado não muito distante, teve esse tipo de discussão, debate, até uma votação para isso. E lamentavelmente isso não aconteceu. Nós vemos nas grandes ligas isso já acontecendo. Questão financeira que envolve o Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e assim por diante. Não pode ser alegado que o custo do VAR impediu que isso seja institucionalizado no Campeonato Brasileiro. Isso para nós realmente é difícil de entender. Se for preciso, é óbvio que o Internacional vai fazer de tudo para que outros clubes venham aderir a isso – disse Caetano.

A polêmica com Ricardo Marques Ribeiro

Toda a polêmica que tomou conta do Beira-Rio após a partida iniciou com a anulação do que seria o segundo gol de Leandro Damião na partida. O episódio causou irritação dos dirigentes colorados e do técnico Odair Hellmann. Principalmente pela demora na decisão do sexteto de arbitragem para tomar a decisão.

O lance ocorreu aos nove minutos do segundo tempo, com o jogo empatado em 1 a 1. Víctor Cuesta dividiu com Carlos Sánchez. A bola sobrou para Leandro Damião, que estufou as redes de Vanderlei. A arbitragem deu impedimento do centroavante. Porém, o juiz ficou na dúvida se a bola tinha saído do zagueiro do Inter ou do volante do Peixe. Após quase seis minutos de debate com seus auxiliares, enfim, o árbitro concluiu que o lance era irregular.