TJMS JANEIRO
Menu
quinta, 20 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Top Esporte

Atletas de Bandeirantes participam de torneio internacional de futebol

O time do projeto social de Bandeirantes estreou com vitória de 5 a 0

20 julho 2018 - 19h50Por TJMS

Desde segunda-feira (16), o município paulista de Presidente Venceslau está sediando a 4ª Copa Internacional de Futebol da Alta Sorocabana e, nessa edição, o time do projeto social do município de Bandeirantes Bom de Nota, Bom de Bola está entre as 124 equipes participantes. As equipes são oriundas do Brasil e do Paraguai.

O projeto Bom de Nota, Bom de Bola é conveniado com o Poder Judiciário e custeado com repasses de recursos advindos das penas pecuniárias da comarca de Bandeirantes.  Com esses recursos, o programa é agraciado todos os anos, desde o início do convênio, com equipamentos esportivos para o treinamento das mais de 200 crianças e adolescentes atendidos.

Nos três primeiros anos da competição em Presidente Venceslau, o campeonato trouxe uma movimentação intensa para o comércio local. Atletas, pais, dirigentes, olheiros e comissões técnicas estarão no município durante a semana, com estimativas de mais de dois mil visitantes.

A competição segue até domingo (22), reunindo 124 equipes divididas em oito categorias de jovens de 11 a 18 anos. Serão premiados os três melhores colocados de cada categoria com troféu e medalha. O quarto colocado receberá medalha. Serão premiados também o artilheiro e defesa menos vazada de cada categoria.

Essa não é a primeira vez que os atletas desse projeto disputam fora do território sul-mato-grossense. Em janeiro, 50 jogadores de Bandeirantes participaram da Dracena Cup Internacional de Futebol, no Estado de São Paulo, representando Mato Grosso do Sul. A competição reuniu mais de 120 atletas, representando sete estados de três países diferentes.

Saiba mais – Em Bandeirantes, o projeto Bom de Nota, Bom de Bola começou no dia 28 de abril de 2009, e atualmente atende em média 200 crianças. Tudo com valores oriundos de penas pecuniárias. 

Para participar das atividades é necessário ter uma média 6 no boletim escolar. Para viajar nas competições, o estudante deve ter bom comportamento na escola e em casa, além de frequentar a igreja indicada pelos pais, pelo menos uma vez por semana.

Importante ressaltar que o objetivo do projeto não é formar jogadores, mas cidadãos conscientes de seus deveres e direitos. E o resultado não poderia ser melhor: dos que passaram pelo projeto alguns são advogados, outros estão cursando medicina, entre vários outras cursos universitários, e alguns optaram por seguir carreira, jogando em clubes.