(67) 99826-0686
Dengue FEV

CBF e Konami acertam parceria e garantem Brasileirão no PES 2017

Anúncio foi feito pelo presidente Marco Polo Del Nero na sede da entidade

29 AGO 2016
Globo Esporte
12h10min
Foto: Chandy Teixeira

Os fãs do "Pro Evolution Soccer" encontrarão o Campeonato Brasileiro na versão 2017 do game. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a Konami - gigante do setor e distribuidora do título - assinaram acordo inédito nesta segunda-feira, na sede da entidade, no Rio de Janeiro. O anuncio foi feito pelo presidente Marco Polo Del Nero ao lado de representantes da empresa japonesa. O contrato tem duração de dois anos.

- Essa iniciativa tem sido costurada há meses e pensada desde o início da nossa gestão. Hoje, firmamos parceria com uma gigante dos games. Sempre analisamos que este era um mercado que deveria ser prospectado. O acordo garante internacionalização do futebol brasileiro, fidelização dos torcedores e geração de receitas para os clubes. Além disso, é uma grande oportunidade de alcançar os jovens. Estamos muito felizes em receber a Konami - disse o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero.

A Konami detém parceria atualmente com os 20 clubes da Série A do Campeonato Brasileiro. Com Flamengo e Corinthians o contrato é de exclusividade em exploração nos games. O lançamento oficial da versão 2017 do  "Pro Evolution Soccer" será feito no dia 13 de setembro. Uma versão demonstração já está disponível.

Brasileirão "virtual" é o próximo passo

Além da presença do principal torneio dentro do game, a CBF também deseja ter a realização do Campeonato Brasileiro virtual. As pistas apontam que cada clube teria um representante dentro da competição, que está sendo preparada para o próximo ano. O calendário será o mesmo do Brasileirão real.

- Está no imaginário, sim. Possivelmente será realizado em breve. Ainda estamos estudando plataformas, até com realização em estádios. Estamos neste momento em busca dos patrocinadores. A partir desse contrato, isto está sendo estudado, até mesmo com transmissão por televisão - explicou o secretário geral da CBF, Walter Feldman.

 

Veja também