Menu
quarta, 02 de dezembro de 2020
Top Esporte

FIFA quer resposta sobre polêmica no Brasileirão até dia 19

'39ª Rodada'

07 fevereiro 2014 - 09h23Por Schimene Weber

Em carta enviada à CBF na última quarta-feira (05), a FIFA, entidade máxima do futebol mundial, cobrou uma rápida solução para o problema da CBF envolvendo a Portuguesa, o Flamengo e o Fluminense. Conforme o texto, a resposta definitiva deverá ser dada até o próximo dia 19.

- Considerando que é sua (CBF) obrigação proibir recursos para tribunais ordinários relacionados à matéria desportiva do Brasil, a Fifa solicita que sejam tomadas as medidas necessárias para encerrar o atual procedimento envolvendo o Flamengo e a Portuguesa, de forma a evitar que esse tipo de procedimento volte a ser tomado no futuro - diz um trecho do documento.

A carta, assinada por Marco Villiger, diretor jurídico da Fifa, cita o parágrafo 3 do artigo 68 da entidade, no qual é proibido que a Justiça comum interfira no andamento das competições. A CBF liberou o documento apenas na última quinta-feira (06), dia em que também divulgou a tabela do Campeonato Brasileiro 2014, na qual a Portuguesa não aparece e o Fluminense, que escapou da queda pela perda de pontos da Lusa, está dentro.

A assessoria da CBF divulgou que todas as liminares obtidas em São Paulo alterando as decisões da Justiça Desportiva foram cassadas e, com isso, a tabela foi anunciada.

Leia Também

Depois de agredir esposa grávida, homem cai de altura de quatro metros e morre no Oliveira III
Cidade Morena
Depois de agredir esposa grávida, homem cai de altura de quatro metros e morre no Oliveira III
Vídeo: roda dupla de caminhão se solta e 'atropela' mulher em calçada em Amambai
É milagre que chama?
Vídeo: roda dupla de caminhão se solta e 'atropela' mulher em calçada em Amambai
Em meio a afastamento, Wilson Witzel se batiza em igreja evangélica do Rio
Geral
Em meio a afastamento, Wilson Witzel se batiza em igreja evangélica do Rio
Plano do Governo prioriza idosos, presos e indígenas na vacina contra a covid
Geral
Plano do Governo prioriza idosos, presos e indígenas na vacina contra a covid