Menu
Busca quinta, 04 de junho de 2020
Camara - corona
Top Esporte

Gritos homofóbicos em estádio agora podem fazer o jogo ser suspenso

Conforme a nova orientação, o árbitro de campo ficará responsável por avaliar e julgar comportamentos abusivos/excessivos que se manifestem nas arquibancadas

27 julho 2019 - 14h55Por Da redação/Pheeno

A direção da Fifa (Federação Internacional de Futebol) enviou nesta quinta-feira (25) comunicado para seus filiados informando que o protocolo contra atos discriminatórios, incluindo racismo e homofobia, terá que ser realizado em todas os jogos oficiais realizados pelo mundo, inclusive em campeonatos nacionais de clubes.

Como destaca o ?Blog do Marcel Rizzo, o árbitro de campo ficará responsável por avaliar e julgar comportamentos abusivos/excessivos que se manifestem nas arquibancadas.

Caso observe algum tipo de ato discriminatório, deverá seguir três passos: 1) paralisar o jogo e aguardar que os alto-falantes do estádio solicitem o fim das manifestações preconceituosas; 2) casos os gritos sigam, esticar a paralisação podendo até mesmo retirar os atletas de campo; 3) suspensão definitiva da partida, em última instância.

Casos graves poderão ser analisados pelos tribunais desportivos de cada país, com clubes sujeitos à multa (pena mais branda), perda de pontos e mandos de campo. Durante a ?Copa América, a Confederação Brasileira de Futebol foi multada em R$ 57 mil por gritos homofóbicos dos presentes no Morumbi direcionados aos jogadores bolivianos, justo na partida de abertura da competição.

Leia Também

Fique atento: homem perde R$ 32,5 mil ao tentar comprar veículo na internet
Polícia
Fique atento: homem perde R$ 32,5 mil ao tentar comprar veículo na internet
Polícia encontra caminhonete de idoso desaparecido próximo de Ponta Porã
Interior
Polícia encontra caminhonete de idoso desaparecido próximo de Ponta Porã
Quinta-feira será de céu nublado, chuva e frio
Cidade Morena
Quinta-feira será de céu nublado, chuva e frio
'LOUCURA' por cloroquina deixa paciente com lúpus sem remédio em Campo Grande
Cidade Morena
'LOUCURA' por cloroquina deixa paciente com lúpus sem remédio em Campo Grande