Menu
quarta, 25 de novembro de 2020
Top Esporte

Guerrero rebate versão e diz que não foi agredido

Mal entendido

23 fevereiro 2014 - 16h05Por site MSN Esporte

Depois da partida deste sábado, no Pacaembu, o atacante do Corinthians Paolo Guerrero negou a versão divulgada pela diretoria do clube, de que o jogador foi agredido por torcedores, no dia da invasão ao centro de treinamento, no dia um de fevereiro. O número 9 do time do Parque São Jorge disse que não aconteceu nada com ele e que não tem nada para dizer no depoimento para a Polícia Civil, marcado para a próxima segunda-feira. 

Um dia depois da confusão no CT, o presidente Mario Gobbi, em entrevista para a Rádio Bandeirantes, afirmou que o peruano havia sido "esganado no seu pescoço". A frase deu ainda mais repercussão para o caso, que até então não tinha registro de confrontos diretos entre vândalos e atletas.

"A diretoria me falou para ir (dar depoimento). Não tenho nada para falar. Eles querem que eu vá e eu vou. Comigo (não aconteceu) nada, nada. Acho que foi um mal entendido. Todo o grupo e eu vivemos um momento ruim, já passou", afirmou Guerrero.

"Acho que foi mal entenddio. Não tenho certeza do que ele falou, não assisto muito à televisão, não sei o que ele falou exatamente. Eu não iria, mas se a diretoria quer que eu vá, eu vou", completou Guerrero, em relação ao depoimento desta segunda-feira.

O jogador ainda disse que encontrou alguns torcedores quando estava voltando para o hotel para pegar as coisas dele, mas que não foi nem tocado.

Ele também negou que a má fase tenha relação com o episódio daquele sábado.

"Não, acho que não tem nada a ver. Acho que o centroavante passa por fase ruins e estou passando por isso. Vou ficar chateado uns dias, mas é mais importante que o Corinthians ganhou, estamos indo para cima", finalizou.

A declaração do atacante deve deixar a investigação ainda mais confusa. Para a polícia, o Corinthians tem ajudado pouco a resolver o caso, com depoimentos pouco relevantes. A diretoria do Parque São Jorge, no entanto, afirma e reafirma o compromisso com o inquérito, que ela mesmo abriu, e diz que tem feito de tudo para auxiliar.

Batendo cabeça

Na última sexta-feira, o presidente Mario Gobbi afirmou, em entrevista para o Blog do PVC, que Guerrero seria levado naquele mesmo dia para a delegacia, para prestar depoimento. O chefe da segurança do Corinthians, Waldir Dutra, chegou a comparecer ao local, mas não foi atendido. De acordo com a polícia, que se incomodou com a atitude, não havia agendamento para aquele dia. 

Por outro lado, Dutra mantém a palavra de que recebeu uma ligação de um investigador que está apurando o caso para ir à delegacia e que apenas depois foi avisado de que os compromissos relacionados ao episódio tinham sido cancelados e remarcados.

Leia Também

Presidente da Fundação Palmares ataca: 'morto no Carrefour não era preto honrado'
Geral
Presidente da Fundação Palmares ataca: 'morto no Carrefour não era preto honrado'
Brasil tem 654 mortes por covid em 24h, diz Ministério da Saúde
Geral
Brasil tem 654 mortes por covid em 24h, diz Ministério da Saúde
OAB-MS pode suspender advogado que pagou para estuprar meninas de 11 e 12 anos
Interior
OAB-MS pode suspender advogado que pagou para estuprar meninas de 11 e 12 anos
Perigo: Valley mantém balada mesmo com alta nos casos de covid
Cidade Morena
Perigo: Valley mantém balada mesmo com alta nos casos de covid