Menu
segunda, 06 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
ALMS - NOVEMBRO
Top Esporte

Maria Sharapova é suspensa por dois anos e está fora da Olimpíada

08 junho 2016 - 13h49Por Uol Esporte

Maria Sharapova foi suspensa por dois anos pela Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês) por ter sido pega em exame antidoping em janeiro. A decisão anunciada nesta quarta-feira (8) tira a russa dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em agosto. A tenista de 29 anos já afirmou que vai recorrer.

A punição foi aplicada por um tribunal independente após audiências realizadas nos dias 18 e 19 de maio e começou a valer a partir do dia 26 de janeiro, data em que a russa fez o exame durante a realização do Aberto da Austrália. Ela só estará liberada para voltar a competir em 25 de janeiro de 2018.

A tenista também terá cassado os 430 pontos ganhos por ter alcançado as quartas de final do Grand Slam e terá de devolver os US$ 400 mil (equivalente hoje a cerca de R$ 1,4 milhão) recebidos como premiação.

Segundo comunicado oficial da ITF, um outro exame fora de competição realizado no dia 2 de fevereiro, em Moscou, apontou novamente a presença de Meldonium na urina na atleta.

A decisão ainda não é definitiva, uma vez que cabe recurso na Corte Arbitral do Esporte (CAS). A jogadora afirmou, logo após a divulgação da punição, no Facebook que irá apelar e entrar com recurso.

"Hoje com a decisão pela minha suspensão por dois anos, o tribunal da ITF concluiu de forma unânime que meu doping não foi intencional. O Tribunal entendeu que eu não procurei tratamento com meu médico com o propósito de obter uma substância para ganho de performance. A ITD gastou muito tempo e recursos tentando provar que eu violei intencionalmente as regras antidoping e o Tribunal concluiu que eu não o fiz. Vocês precisam saber que a ITF pediu ao Tribunal que me suspendesse por quatro anos - a suspensão padrão para uma violação intencional - e o Tribunal rejeitou a posição da ITF. Como o Tribunal concluiu que eu não violei intencionalmente as regras antidoping, eu não posso aceitar a punição injusta de dois anos", escreveu Sharapova seu perfil no Facebook.

"O Tribunal, cujo os membros foram escolhidos pela ITF, entendeu que eu não fiz nada de forma intencional. Ainda assim, me proibiram de jogar tênis por dois anos. Eu irei imediatamente apelar da decisão, recorrendo ao CAS, a Corte Arbitral do Esporte", completou.

"Tenho sentido falta de jogar tênis e sentido falta dos meus fãs, que são os melhores e mais leais. Eu li todas as cartas que me mandaram, li seus posts nas redes sociais e amo o apoio que me deram durante estes dias. Lutarei pelo que acredito ser certo e batalharei para estar de volta às quadras o mais rapidamente possível", concluiu.

Sharapova havia sido inscrita nos Jogos pela Federação Russa e aguardava o veredicto do julgamento para saber se poderia disputar uma Olimpíada pela segunda vez em sua carreira - foi prata em simples em Londres-2012.

A tenista foi flagrada com Meldonium, que passou a integrar a lista de substância proibidas pela Agência Mundial Antidoping (Wada) em 1º de janeiro. Ela confessou que fazia uso do medicamento em uma entrevista coletiva realizada em 7 de março e passou a cumprir uma suspensão preventiva no dia 12 do mesmo mês.

Naquela época, a russa ocupava a sétima colocação do ranking mundial. Sem atuar, está no momento na 26ª colocação e irá despencar ainda mais ao longo das próximas semanas.

A Federação Russa de Tênis informou que apoiará Sharapova durante todo o processo na CAS.

"É impossível reverter a suspensão completamente pois ela mesmo admitiu que tomou a substância após 1º de janeiro. Entretanto, eu acredito que é possível reduzi-la. A reputação ideal de Sharapova e o fato que ela tomou a substância com base em uma determinação médica podem ajudar", afirmou à agência de notícias TASS, o presidente da Federação Russa, Shamil Tarpischev.

Ele informou ainda que Sharapova será substituída na Olimpíada por Ekaterina Makarova, atualmente a 36ª colocada do ranking mundial. O escândalo de doping  levou a tenista a perdas financeiras. Nike e Tag Heuer suspenderam os contratos de patrocínio e a Porsche adiou o envolvimento dela em campanhas promocionais.

Como reflexo disso, Sharapova deixou de ser nesta semana a esportista mulher mais bem paga do planeta. Ela foi superada pela também tenista Serena Williams em levantamento feito pela revista americana Forbes.

Apesar do afastamento das quadras por doping, Sharapova continuou fazendo aparições públicas em festas, eventos sociais e mais recentemente lançou uma linha de chocolates de sua empresa Sugarpova. Nas redes sociais, a russa segue postando fotos de treinos, seja na quadra de tênis ou na academia.

Uma das atletas mais bem pagas da atualidade, Sharapova é uma das poucas tenistas que já conquistou o chamado Grand Slam (Aberto da Austrália, Roland Garros, Wimbledon e US Open). Ela soma na carreira 35 títulos e mais de US$ 36,7 milhões apenas em premiações em torneios. Ganhou 601 jogos e perdeu 145.

Chegou a ficar ainda 21 semanas como número 1 do ranking mundial.