(67) 99826-0686
Camara Maio

Medina cai na 3ª fase e abre caminho para título antecipado de John John

21 OUT 2016
Globo Esporte
14h12min
Foto: Divulgação/WSL

A sexta-feira em Peniche pode ter sido determinante para a decisão do título do Circuito Mundial deste ano. Atual número 1 do mundo, John John Florence não deu chances ao local Frederico Morais e avançou à quarta fase da etapa de Portugal. Pouco depois, o vice-líder Gabriel Medina entrou na água e acabou desbancado pelo francês Jeremy Flores. A eliminação na terceira fase complica a situação do paulista de Maresias, que almejava adiar a disputa do título para Pipeline. Medina agora precisa "secar" John John, que pode ser campeão mundial já em Portugal. Os adversários do camiseta amarela na quarta fase (não eliminatória) são o taitiano Michel Bourez e o brasileiro Adriano de Souza, o Mineirinho. Eliminando o multicampeão Kelly Slater, Miguel Pulpo segue vivo na disputa. 

Caso chegue à final, o havaiano garante o título por antecipação, exceto se o adversário na decisão for o sul-africano Jordy Smith, que ainda compete na terceira fase. Se o número 4 do mundo for à final, John John precisa vencer a etapa para faturar o caneco do Circuito Mundial em águas portuguesas. A etapa do Havaí acontece entre 8 e 20 de setembro.

HAVAIANO NÃO SE INTIMIDA COM LOCAL

Sentindo-se à vontade nas ondas tubulares do Pico do Fabril - a WSL tirou as baterias desta sexta de Supertubos por conta das condições do mar -, o português Frederico Morais largou na frente de John John Florence com um 5.50.  Sem deixar se abater, o camiseta amarela aguardou uma boa onda, e ela veio com 15 minutos, quando o havaiano conseguiu ótimas manobras com cavadas, batidas e um 8.50 de nota. Pouco depois, o número 1 do mundo surfou para um 6.67, ampliando a vantagem. O português não se entregou e foi buscar um 6.37 que o deixava a um 8.80 da virada. Só que John John tirou um 7.77 e garantiu a vitória, deixando a água ovacionado pela torcida.
 

-Sabia que o Frederico Morais seria um adversário dificílimo, porque ele conhece muito bem essa onda e é um surfista qualificado. Mas eu entrei tranquilo, disposto a fazer o meu melhor e consegui vencer sem pensar na bateria do Gabriel Medina. Ainda tem muita coisa a acontecer nesse campeonato e não há nada definido - disse John John.

Pressionado pela vitória do seu maior concorrente ao título, Medina entrou na água na bateria seguinte. O brasileiro abriu com um tubo de 7.17, mas o francês respondeu com um 5.67 e com um 6.30. Numa onda de longo alcance, Jeremy levou um 8.00, deixando Gabriel a 7.14 da virada. Numa sequência de manobras arriscadas, o paulista de Maresias falhou no movimento final e recebeu apenas 5.53 dos jurados. 
Pouco depois, Medina entrou em tubo, mas a onda fechou, o que rendeu ao brasileiro apenas 6.77. Surfando para o seu tudo ou nada, o vice-líder do ranking ainda conseguiu um 7.00, mas o francês estava num dia inspirado e venceu a bateria com 15.07 de somatório contra 14.17 do campeão mundial de 2014.

MINEIRINHO E PUPO VENCEM; JADSON PERDE

Atual 10º colocado do ranking, Adriano de Souza venceu a sua bateria e avançou à quarta fase. O adversário foi o americano Kanoa Igarashi. Mineirinho começou melhor  e tratou de pegar uma boa onda com menos de cinco minutos corridos. O tubo rendeu um 6.83 ao brasileiro, contra um modesto 1.50 de Igarashi. Pouco depois, Adriano surfou para um 5.17, ampliando a vantagem. O americano respondeu com um 4.50, passando a precisar de 7.50 para virar. Mesmo com muita vontade, Kanoa só conseguiu um 5.53, não obtendo a virada. Melhor para Mineirinho, que apenas administrou a vantagem nos minutos finais.

- Kanoa Igarashi é um surfista jovem de muito talento, que ainda vai crescer bastante no cenário internacional. Meu objetivo nessa etapa é ser top10 e eu acho que a mudança de local não interferiu em muita coisa. Estou preparado para surfar onde quer que seja – afirmou Mineirinho.
Na nona bateria, Miguel Pulpo não se intimidou com o rival Kelly Slater. O brasileiro logo arrancou um 8 e já saiu na frente. O multicampeão americano, no entanto, respondeu em seguida com 8.43. Uma segunda boa onda (7.43), porém, deixou Pulpo confortável com um bom somatório. Slater não se rendeu e lutou até o fim. Mas o 5.83 que tirou na sua última boa chance não foi suficiente para virar o jogo. 

Sexto do ranking até o início da etapa de Peniche, Julian Wilson complicou a vida Jadson André no Circuito Mundial. O brasileiro vencia a bateria contra o australiano até os últimos segundos, quando Wilson surfou para um 6.47, 7 centésimos a mais que a nota necessária para conseguir a virada. Derrotado mesmo obtendo um 7.67 e um 7.23, Jadson está praticamente fora da elite da próxima temporada, uma vez que está em 25º no ranking do Circuito Mundial e longe das primeiras colocações do WQS (divisão de acesso).

Outros brasileiros que caíram na terceira fase foram Wiggoly Dantas, Caio Ibelli e Filipe Toledo, eliminados respectivamente por Joel Parkinson, da Austrália, e Michel Bourez, do Taiti, e Conner Coffin, dos Estados Unidos. Sétimo lugar do ranking, com 30.650 pontos, Filipinho não tem mais chance de título.

Veja também