burguer fest
tjms
(67) 99826-0686

Gaeco apreende 47 celulares, drogas, dinheiro e alimentos no Instituto Penal da Capital

Durante a Operação Chip, foram apurados os crimes de corrupção, peculato, tráfico de drogas e associação para o tráfico

12 JUN 2017
Redação
18h35min
Foto: MP/MS
cidade-morena-interna1
Victor Hugo - 28 anos

O Ministério Público de Mato Grosso do Sul, por meio do Gaeco - Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, realiza, nesta segunda-feira (12), a Operação Chip em Campo Grande.

O alvo principal é o sistema prisional, os três mandados de prisão temporárias já foram cumpridos e 5 mandados de busca e apreensão. Durante a Operação, foram apurados os crimes de corrupção, peculato, tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Os trabalhos de busca aconteceram durante todo o dia na área administrativa do presídio, nas cantinas, setor de trabalho dos presos e nas celas. Foram encontrados, no Instituto Penal de Campo Grande, 24 aparelhos celulares, 24 carregadores, 19 fones de ouvido e 7 chips; 562 gramas  de maconha; 626 gramas de a cocaína.


Todos os presos já estão recolhidos.  Fúlvio Ramires da Silva o diretor do IPCG, foi preso em flagrante por porte ilegal de arma de fogo e pagará fiança de cerca de 900 reais. 

Na casa do agente penitenciário Cleiton Paulino de Souza preso,foram encontrados 23 celulares, alguns embalados e prontos para serem entregues no presídio, além de balança de precisão e oito mil seiscentos e vinte e sete reais em dinheiro.

O nome da operação CHIP é em referência ao agente penitenciário preso e suspeito de levar celulares e chips para dentro do IPCG (Instituto Penal de Campo Grande) e conta com o apoio do Batalhão de Choque da Polícia Militar.

A operação encerra com o bagageiro de uma caminhonete lotado de alimentos apreendidos no IPCG, como são proibidos de serem comercializados em estabelecimentos penais conforme Termo de Ajuste de Conduta firmado entre o Ministério Público e a Agepen no interior do presídio. Todos os alimentos foram recolhidos e doados ao Asilo São João Bosco.                        

cidade-morena-interna2
nando viana

Veja também