zé ramalho
RACIONAIS
(67) 99826-0686

Fiscal da Flexpark 'vestido como policial' causa constrangimento a motoristas na Capital

Empresa já causou problemas por usar brasão da Agetran em notificação; Prefeitura diz que uniforme é de livre escolha da empresa

12 JUN 2017
Liziane Berrocal
07h00min

A presença de um fiscal da empresa de parquímetro Flexpark com uniforme análogo ao da polícia militar acabou causando constrangimento em motoristas no Centro da Capital. Segundo a denúncia, o fiscal estaria “autuando” quem não estava com o parquímetro. 

“Até aí tudo bem, é o trabalho dele, porém o uniforme induz ao erro pois está claramente parecido com de policiais militares e quando questionei sobre o motivo, ele disse que a empresa é quem mandou”, contou o motorista que pediu para não ser identificado. 

Segundo ele, outros motoristas também se incomodaram com a situação. “Tem até o brasão do Estado, o nome, o tipo sanguíneo, isso induz ao erro”, reclamou.

Por meio de nota, a Prefeitura de Campo Grande, por meio da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), esclareceu que a empresa Flexpark, que tem concessão para operacionalização do Serviço de Estacionamento Regulamentado (SER)) de Campo Grande, não tem competência para lavrar multas de trânsito.

Segundo diretor-presidente da Agetran, Janine Bruno a empresa continua responsável pelo serviço. Porém, pode somente orientar o condutor do veículo, caso o mesmo esteja sem o registro no equipamento.

“Quanto ao modelo e cores do uniforme, por se tratar de empresa privada, tem liberdade de escolha. Ademais, no uniforme há identificação clara de que o funcionário trabalha para Flexpark”. 

Essa não foi a primeira vez que a empresa causou problemas por “ostentar status de autoridade”. Anteriormente a empresa usava talonário de notificação com o brasão da Agetran, o que não é permitido. 

Veja também