FAPEC
Assembleia a  04 a 18/12
(67) 99826-0686
cidade natal pmcg

Maratona internacional busca soluções para problemas de Campo Grande

O hackathon (maratona de programação) reuniu programadores, desenvolvedores, designers, cientistas de dados e gestores públicos

4 DEZ 2017
PMCG
11h40min
Foto: PMCG

Vinte e quatro horas para descobrir os dados da cidade e propor melhorias para a vida dos cidadãos. Foi com esse objetivo que o HackaCity veio à Campo Grande nesse final de semana. Promovido pelo Living Lab (Sebrae/MS), em parceria com a Prefeitura Municipal de Campo Grande e apoio da Agetec (Agência Municipal de Tecnologia da Informação e Inovação) e da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e de Ciência e Tecnologia (Sedesc), o hackathon (maratona de programação), reuniu programadores, desenvolvedores, designers, cientistas de dados e gestores públicos para desenvolver aplicações com impacto para os cidadãos a partir dos dados fornecidos pela própria cidade.

Ao todo, 60 participantes, formando 10 times, trabalharam com base nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável proposto pela Organização das Nações Unidas (ONU). No final da maratona, julgaram os vencedores o prefeito Marquinhos Trad, o diretor-presidente do Sebrae/MS, Tito Estanqueiro, o reitor da UFMS, Marcelo Turine, o Superintende Regional do Trabalho no Estado, Vladimir Benedito Struck e Margarida Coquim Campolargo, uma das idealizadoras do HackaCity em Portugal e CEO da Pointify.

“Percebo na administração pública que a tecnologia ainda está muito aquém daquilo que queremos e precisamos avançar, pois o mundo digital é uma das bases do trabalho e desenvolvimento atual. O Hackacity reuniu mentes iluminadas da nossa cidade criando saídas para saúde, lazer, esporte, educação, segurança pública e muitos outros eixos essenciais para o bem-estar na população”, disse o prefeito Marquinhos Trad, na ocasião.

O propósito do Hackacity é analisar bancos de dados públicos e promover a sua utilização no desenvolvimento de soluções que possam ter impacto positivo na gestão das cidades, ajudando também a fomentar a colaboração entre partes interessadas. Por esse motivo, a Agetec disponibilizou dados de diversas áreas, como saúde, educação e segurança pública. As informações sobre despesas e receitas também foram viabilizadas do Portal da Transparência e do aplicativo Fala Campo Grande.

“Sem dúvidas, ter acesso a todas essas informações foi crucial para que os maratonistas pudessem desenvolver ideias e promover soluções viáveis para a cidade. Parabéns a Prefeitura de Campo Grande por ser tão prestativa e acessível”, comentou Margarida Campolargo.

O time vencedor foi o Feeding, com a ideia de utilizar a comida desperdiçada dos restaurantes de Campo Grande, para alimentar quem não tem o que comer. “Quantos restaurantes por dia não jogam comida fora? Nossa ideia foi linkar a pessoa que tem a comida que vai ser desperdiçada com a pessoa em situação de fome. Provavelmente quem está nesta situação, não tem acesso à internet, por isso ligaríamos as ONGs e associações aos fornecedores. Assim, dono do estabelecimento disponibilizaria o alimento que poderia ser jogada fora”, explicou um dos integrantes do grupo, Iohan Zukeram.

Para o diretor-presidente da Agetec, Paulo Fernando, o evento é uma oportunidade de pensar em soluções. “O hackacity permite a qualquer cidadão, principalmente aos que tem menos acesso, que através da criatividade e com o uso da tecnologia ajudem a administração pública na busca por uma cidade melhor e mais justa. É esse cidadão que frequenta as escolas, os terminais de transporte, os postos de saúde, são eles os legítimos conhecedores dos problemas e soluções que poderão trazer ao gestor uma nova e legítima visão do que é preciso para melhorar”.

Veja também