(67) 99826-0686
ALMS Dezembro

Região pantaneira escapa de ‘apagão médico’ graças a contratos emergenciais

Região emprega 10 médicos cubanos ainda estão na cidade, mas já com data definida para irem embora

2 DEZ 2018
Celso Bejarano
15h15min
Foto: Renê Márcio Barbosa Carneiro

Cidade de 110 mil habitantes, quarto maior em população de Mato Grosso do Sul, cravado no coração do Pantanal, já na linha de fronteira com a Bolívia, Corumbá parece ter escapado de ‘apagão médico’ com a saída dos médicos cubanos que ali medicam desde 2013.

O município é o que mais recebe serviços dos cubanos, com 10 dos 114 médicos que já deixam o Estado por determinação do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), que discordou do regime imposto pelo governo cubano que divide com seus profissionais o ganho mensal pelos atendimentos. Os cubanos que trabalham em Corumbá deixam definitivamente a cidade no dia 3 de dezembro, data que eles retornam para o país caribenho. Eles não atendem mais nas unidades da cidade desde o meio da semana passada.

O secretário de Saúde do município, Rogério Leite, disse ao TopMidiaNews que em reunião na sexta-feira (24), em Campo Grande, na Secretaria Estadual de Saúde, soube que os cubanos serão substituídos por outros 10 médicos por meio de contrato emergencial com validade de três meses. Esses profissionais já iriam se apresentar no município a partir de segunda-feira (26), garantiu Leite, que acrescentou que por estes dias o atendimento onde os cubanos agiam tem sido feito em regime especial por outros profissionais.

“Nós não tivemos prejuízos com a medida”, sustentou o secretário.

Leite não disse de onde virão os temporários, se do estrangeiro, de outras regiões do Brasil ou se daqui de MS mesmo. Ele garantiu, apenas, que os substitutos já tem CRM, a carteira do Conselho Regional de Medicina, ou seja, podem ser recém-formados.

O secretário afirmou ainda que os médicos cubanos atuam em unidades básicas de saúde dentro do município, em torno de 25 e também no pronto-socorro do hospital da cidade. O município instalou ainda três unidades de saúde na área rural, mas nestes locais os cubanos não atuam.

Corumbá é o maior município em extensão de MS, com 64.960,863 km quadrados, oito vezes maior que o tamanho de Campo Grande, a capital, que mede 8.096,051 km quadrados.

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), recomenda como parâmetro ideal de atenção à saúde da população a relação de um médico para cada 1.000 habitantes. No entanto, em Corumbá, 40 médicos agem no setor de saúde. O número indica que o aconselhamento da OMS está distante do perfeito. A cidade pantaneira deveria ter ao menos 110 médicos.

Veja também