TJMS - Setembro
(67) 99826-0686

VÍDEO: servidor da Agepen é preso suspeito de passar informações para PCC

A operação é realizada em Campo Grande, Corumbá, Nova Andradina e no estado de Goiás; mais dois também foram detidos

12 JUN 2018
Dany Nascimento e Anna Gomes
08h34min
Foto: Anna Gomes

Três pessoas foram presas e encaminhadas para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Piratininga até o momento na Operação Paiol, deflagrada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais)e Batalhão de Choque na manhã desta terça-feira (12), em Campo Grande. A operação tem como objetivo combater a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).

Entre os presos, está um agente da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) suspeito de conceder informações para a facção. Os policiais ainda não concederam a identificação dos presos. Ele chegou no local algemado, mas não falou com a imprensa sobre a prisão. De acordo com a polícia, o servidor presta serviços na Casa do Albergado da Vila Sobrinho, em Campo Grande.

A primeira a ser conduzida para a delegacia foi uma mulher, apontada como esposa de José Claúdio Arantes, conhecido no meio do crime como Tio Arantes. Ele seria o líder da facção criminosa no Estado.  A esposa de Tio Arantes foi levada para a delegacia em uma viatura descaracterizada e permaneceu algemada de costas para os jornalistas que acompanham a operação.

Um outro homem também foi preso, mas ainda não foi identificado.  

Operação

O Gaeco, o Bope e o Batalhão de Choque deflagraram, na manhã desta terça-feira (12), a Operação Paiol para cumprir mandados de prisão e busca e apreensão, cujo alvo é o combate ao PCC (Primeiro Comando da Capital), facção criminosa com grande atuação em Mato Grosso do Sul.

Os alvos estão em Campo Grande, Corumbá, Nova Andradina e no estado de Goiás.

Veja também