(67) 99826-0686
PMCG Janeiro

Durante recesso, vereador percorre bairros em busca de focos do mosquito da dengue

Parlamentar visitou bairro Atlântico Sul e ajudou na coleta de lixo em terrenos baldios

8 JAN 2019
Redação
16h28min
Foto: Assessoria

Durante o recesso parlamentar, o vereador veterinário Francsico (PSB) tem percorrido os bairros de Campo Grande fiscalizando criadouros do mosquito Aedes aegypiti, transmissor da dengue, chikungunya e zika.

“A falta de conscientização é muito grande da população ao jogar lixo em terrenos baldios. Nós já sofremos muito com a dengue aqui em Campo Grande. Nós temos que fazer a nossa parte para combater esse mosquito. Eu visitei o bairro Atlântico Sul e não precisei andar muito, já encontramos criatório dos mosquitos nos terrenos baldios”, relata.

Segundo levantamento divulgado pela prefeitura de Campo Grande, 27 áreas da cidade foram colocadas como de risco para manifestação de Aedes aegypiti. Os dados são do Liraa (Levantamento Rápido do índice de Infestação por Aedes aegypiti) deste ano. Desse montante de 27 já em risco, 34 áreas estão em alerta e apenas oito aparecem com índices satisfatórios, que apresentam infestação menor de 1%.

Foto: Assessoria

O Liraa identifica as áreas com maior número de focos de reprodução do mosquito e fornece o IPP (Índice de Infestação Predial), percentual de imóveis que possuem criadouro com a larva do vetor.

O bairro Amambaí apresentou índice superior de 3,9%, percentual considerado de risco. Segundo a Prefeitura, este ano, o Liraa passou a ser dividido por unidade de saúde/áreas e não mais por bairros. No caso do Amambaí, a unidade é Centro.

De acordo com o levantamento, a área considerada de maior risco são os bairros atendidos pela UBSF Paradiso, que abrange os bairros Monte Castelo, Seminário e Vila Nossa Senhora das Graças, com índice de infestação predial de 9%.

O vereador veterinário Francisco explica que em menos de 15 minutos é possível fazer uma varredura em casa e acabar com os recipientes com água parada – ambiente propício para procriação do Aedes aegypti.

ixo encontrado em terreno baldio - Foto: Assessoria

Ele destaca que em casas e apartamentos, o dono deve tomar cuidado mantendo as calhas sempre limpas, tonéis e caixas d’água tampadas e dá outras dicas. “Deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo; mantenha lixeiras bem tampadas; deixe ralos limpos e com aplicação de tela; limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia; limpe com escova ou bucha os potes de água para animais; retire água acumulada na área de serviço, atrás da máquina de lavar roupa”.

Já em áreas externas de casas e condomínios deve-se cobrir  e realize manutenção periódica de áreas de piscinas e de hidromassagem. Ainda, limpe ralos e canaletas externas; atenção com bromélia, babosa e outras plantas que podem acumular água; deixe lonas usadas para cobrir objetos bem esticadas, para evitar formação de poças d’água; e verifique instalações de salão de festas, banheiros e copa.

Veja também