TJMS - Setembro
(67) 99826-0686

Projeto de Lei que torna obrigatório teste do quadril em recém-nascidos é aprovado

Projeto é de autoria da vereadora Enfermeira Cida Amaral (Pros)

14 JUN 2018
Redação
16h31min
Foto: Divulg/Assessoria vereadora Cida Amaral

Foi aprovado em segunda discussão, o Projeto de Lei 8.755/17, emenda, de autoria da vereadora Enfermeira Cida Amaral (Pros), que torna obrigatória a realização do teste do quadril em todos os recém-nascidos nas primeiras horas de vida, pelas maternidades, hospitais públicos e privados de Campo Grande.

O objetivo do projeto é garantir a realização do teste do quadril nos recém-nascidos, nas primeiras horas de vida, com finalidade de diagnosticar problemas na região e evitar que a criança fique com deficiência. As manobras de “Ortolani e de Barlow”, conhecidas como “teste do Quadril”, são exames preventivos realizados após o nascimento do bebê, que diagnosticam, por meio de flexões das perninhas das crianças, a estabilidade do quadril, mostrando se há luxação.

De procedimento simples, durante o teste o profissional habilitado movimenta as pernas e o quadril do bebê, que deve ser deitado em uma maca, em ambiente aquecido. A ação serve para analisar as articulações e a estabilidade da região, o exame consegue detectar duas doenças: luxação congênita de quadril e instabilidade de quadril. A origem da doença é desconhecida, mas pode estar relacionada com a posição uterina, sexo feminino, primeiro filho, raça branca, mãe jovem, histórico familiar, recém-nascido com maiores peso e altura e com deformidades nos pés ou na coluna vertebral.

Aproximadamente um em cada 1.000 (mil) recém-nascidos poderá nascer com o quadril luxado e cerca de 10 (dez) em 1.000 (mil) com o quadril subluxado (instável). A luxação ocorre quando o quadril fica ‘fora do lugar’ e ‘desencaixado’. Nesse caso, a criança pode ficar com uma perna maior do que a outra, mancar e ter maior risco de desenvolver lordose lombar. Os sintomas aparecem na infância, quando os pequenos começam a andar.

A demora no diagnóstico da doença na faixa etária que ela demonstra seus primeiros sinais, pode levar à graves repercussões clínicas no adulto. “A dor decorrente do encurtamento do membro e a osteoartrose precoce podem ser algumas das conseqüências. Infelizmente em alguns casos o diagnóstico só é feito após um ano de idade, quando a criança começa a andar e os pais percebem que ela está mancando. Nesta idade já se torna impossível o bom reencaixe do quadril por qualquer outro meio que não seja cirurgicamente. Desta forma, a presente proposição tem o escopo de tornar obrigatório o “Teste do Quadril” em recém-nascidos, para diagnosticar precocemente essas malformações, contribuindo assim para a prevenção de doenças e garantindo a qualidade de vida das nossas crianças”. Disse a parlamentar

O Projeto foi encaminhado para a sanção do prefeito.

Veja também