conadhe
tjms
(67) 99826-0686

Marquinhos revela: impasse político entre ministros e Temer prejudicou obras de Campo Grande

Prefeito afirma que diversas obras ficaram paradas por conta do impasse com o presidente

10 AGO 2017
Dany Nascimento e Rodson Willyams
17h00min
Foto: André de Abreu
politica-interna1
Victor Hugo - 28 anos

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) afirmou que Campo Grande foi prejudicada devido ao impasse entre parlamentares e o presidente da república, Michel Temer (PMDB). Segundo Marquinhos, diversas obras ficaram paradas por conta da instabilidade entre partidos políticos e o governo federal.

“Por conta de algumas instabilidades, por conta de alguns partidos, que alguns ministros votaram contra o presidente, existe uma instabilidade. Diante disso, algumas coisas que eram tratadas pararam, por conta desse motivo e pela reforma da previdência e reforma política. Obras importantes para a Capital acabaram ficando paradas”, disse o chefe do Executivo.

Sobre as principais obras, Marquinhos afirma que considera todas importantes para os segmentos e destaca que mesmo com essa instabilidade, a Capital voltou a crescer. “Todas as obras são importantes para determinados segmentos, sigo trabalhando, a cidade voltou a crescer”.

Ele afirma ainda que a Capital foi citada em uma publicação, considerada a única do país que não implantou o aumento de impostos. “Houve deflação a menor e saiu uma publicação ontem, dizendo que Campo Grande foi a única do país que não aumentou impostos. Houve pedido de majoração, mas nenhum deles foi dado. No transporte, por exemplo, e o Flexpark. Hoje, o objetivo é as pessoas em primeiro lugar”.

Além disso, o prefeito disse que não pretende cumprir agenda fora do município durante o mês de aniversário da cidade. “Esse mês, por conta do aniversário da cidade, eu prefiro ficar aqui. Mas se for confirmada alguma agenda com algum ministro, vou e volto no mesmo dia para não prejudicar eventos”.

politica-interna2
nando viana

Veja também