Menu
domingo, 13 de junho de 2021
Algo mais

VÍDEO: além do isolamento, Lucyanne enfrentou o preconceito, mas venceu a covid-19 e hoje comemora

Com a saúde debilitada, Lucyanne relata que a fé ajudou no processo

07 julho 2020 - 15h00Por Nathalia Pelzl

A Miss Plus Size Lucyanne Scariot, 34 anos, é mais uma paciente curada da covid-19 em Mato Grosso do Sul. Ela é moradora do Distrito de Congonhas, em Bandeirantes. Ao TopMídiaNews, ela contou sobre como foi o período de isolamento e descoberta da doença. 

"Dormi bem, não estava sentindo nada, acordei com uma dor de garganta, desesperada, não conseguia engolir nem a saliva, falei para minha mãe que ia ao médico, cheguei no médico e ele falou que não tinha nada, aí ele pediu para eu fazer o exame de sangue e urina". 

Com o resultado apontando infecção, ela pegou a medicação indicada e foi para casa. "Só que cheguei em casa e começou a me dar febre, dai voltei ao médico. Fui novamente examinada, tomei injeção devido à infecção alta na urina, refiz exames, depois acordei como se tivesse com dengue, só que 10 vezes pior". 

Ela fez o exame e veio a confirmação. "Quando deu positivo, eu estava em São Gabriel do Oeste e eu moro no Distrito de Congonhas, Bandeirantes, minha família nem sabia que eu tinha testado positivo para covid-19".

Lucyanne relatou que as pessoas acabaram criticando. "As pessoas começaram a criticar no Facebook, parabéns Bandeirantes pelo primeiro caso de covid, porque meu CPF bate na Secretaria de Saúde do município de Bandeirantes". 

"Tenho restaurante, meus funcionários fizeram o teste, Graças a Deus ninguém estava com o vírus, só eu, fiquei isolada 17 dias, as pessoas não sabem o que é um isolamento, o que você está passando e metem a boca em você nas redes sociais. Além de você descobrir que está com a saúde debilitada, você descobre que as pessoas têm preconceito porque você contraiu, contudo, eu não peguei o vírus porque quis, eu fui contaminada". 

Com a saúde debilitada, Lucyanne relata que a fé ajudou no processo. "Eu pedia para Deus me dar o livramento desta doença, minha mãe estava preocupada, ligava a TV, adorava ao senhor pela TV e celular, via minha mãe de longe, ela levava comida na porta todos os dias, cuidou mesmo de longe, fazia companhia pela janela, assim, Graças a Deus, consegui", finaliza.