Menu
sábado, 16 de janeiro de 2021
Algo mais

Nicolas tem apenas 7 anos, mas mostra força de super-herói para enfrentar 3ª cirurgia

Com apenas 24 horas de vida, ele passou pela primeira cirurgia; família pede ajuda para custear novo procedimento

05 janeiro 2021 - 11h00Por Mariana Rodrigues

O pequeno Nicolas, 7 anos, nasceu com uma má formação na coluna chamada Mielomeningocele (também conhecida como espinha bífida) e, desde então, já começou a demonstrar como é forte e guerreiro. Ele, que também tem hidrocefalia, precisa passar pela terceira cirurgia e a família pede ajuda, através de vaquinha virtual, para arrecadar R$ 5 mil para ajudar com os custos do tratamento, que será feito no dia 14 de janeiro, em Curitiba.

Com apenas 24 horas de vida, ele precisou passar por cirurgia na região aberta da coluna e há quase dois anos precisou, novamente, mostrar sua força quando passou por cirurgia na coluna para correção de escoliose (curvatura lateral da coluna vertebral), que já estava em estágio grave.

Conforme informações da mãe de Nicolas, Danielli Ricarti Nunes, 25 anos, o ortopedista que atende a criança, ao perceber que a escoliose estava ficando grave, pois estava comprimindo o pulmão dele, recomendou a operação, porém como ele não fazia mais este tipo de procedimento, encaminhou o pequeno para tratamento em Curitiba. “Ele poderia perder o pulmão e seria mais complicado, pois caso viesse a ter uma pneumonia não resistiria”, conta a mãe.

A cirurgia foi feita em 2019 e, na época, para conseguir recursos para pagar as despesas, Danielli fez uma rifa. Mas, em novembro, a mãe notou um caroço na coluna da criança e, em um retorno médico, foi pedido um raio X. O exame mostrou que um parafuso, da cirurgia feita em novembro, havia escorregado e Nicolas terá que passar por cirurgia pela terceira vez.

“É uma cirurgia menor, puxar o parafuso para o lugar e colocar mais dois”, explica Danielli. Como dessa vez a cirurgia precisa ser feita em um espaço de tempo menor, ela optou por fazer a vaquinha virtual para arrecadar dinheiro para as despesas em Curitiba como hospedagem, alimentação e instrumentista, que o plano de saúde não cobre, além de outras despesas por fora. Para essa nova cirurgia ela estima gastos de R$ 5 mil.

“Não temos previsão de quantos dias vamos ficar lá, também precisamos fazer testes de covid-19, que custa R$ 300 reais cada teste”.

A cirurgia será feita no dia 14 de janeiro e a família precisa arrecadar o valor de R$ 5 mil para cobrir os gastos das despesas. Se você quiser ajudar o Nicolas, basta acessar a vaquinha virtual aqui e doar qualquer valor. 

Matéria atualizada às 14h14 para correção de informação.