(67) 99826-0686
PMCG - SLOGAN 17/06 A 30/06

Difícil e simples de jogar, Flappy Birds é a nova febre dos smartphones

Download do momento!

8 FEV 2014
Renan Gonzaga
06h00min
(Foto: Reprodução)

Assim como “Angry Birds” em 2012 e “Candy Crush Saga” em 2013, o mais recente sucesso nos smartphones e tablets é “Flappy Bird”. O game, gratuito, une um esquema simples com dificuldade elevada para viciar os jogadores, e o objetivo é apenas fazer um pássaro passar por vãos entre canos. Os gráficos são pixelados e o cenário é inspirados nas primeiras versões da famosa saga Super Mario Bros.


Ele está em primeiro lugar nos jogos mais baixados nas lojas virtuais iTunes e Google Play, mas não ficou famoso por ilustrações revolucionárias, cheias de fases mirabolantes, como a maioria dos games disponíveis. O que chama atenção é a sua simplicidade e, ao mesmo tempo, dificuldade excessiva.


Por falar em dificuldade, ele já ganhou tópicos específicos em fóruns sobre jogos e até vídeos no YouTube que mostram usuários ficando com raiva após ver a palavra “Game Over” na tela do smartphone. Nas redes sociais também é o campeão de reclamações, e figurou por vários dias durante esta semana nos trending topics do twitter.


Diferente do Candy Crush, que exige mais da sorte do que da habilidade do jogador, eu fico impressionado como esse game rema contra a maré dos jogos para celulares, que se destacam por tudo que as outras fórmulas de sucesso não são”, comenta o internauta Guilherme Araujo sobre a simplicidade de Flappy Bird.


Para a jovem Isis Nobre, a dificuldade torna o jogo mais viciante, inclusive para jogadores casuais, quanto para quem joga o game com mais frequência. “O bom é que todo mundo é igual, todo mundo está o mesmo nível, mesmo sendo iniciante ou experientes”, diz.


Esquema de jogo simples e dificuldade alta deixa gamers viciados. (Foto: Reprodução/Internet)


Durante entrevistas, o desenvolvedor Nguyen divulgou que não tem intenção de soltar nenhuma atualização ou mudança para o seu jogo. “Flappy Bird alcançou um nível em que qualquer coisa que for acrescentada irá estragá-lo”, afirmou. Mas deixou claro que alguma sequência ou versão nova poderá ser lançada em breve.


POLÊMICA


O desenvolvedor do app também disse recentemente que está lucrando US$ 50 mil (cerca de R$ 120 mil) por dia com publicidade exibida dentro do jogo. Um alto valor para um game que está sendo acusado de plágio. Pelo menos é o que dizem os criadores do Piou Piou vs. Cactus, lançado em 2011, com semelhanças inegáveis.


Porém, é natural observar o crescimento de um mercado de games baseado em clones de lançamentos que fizeram sucesso, principalmente por conta da popularização massiva de jogos para plataformas móveis. E, na opinião dos jogadores, a “cópia” é bem melhor. “Flappy Bird é um jogo idiota e por isso me viciei”, brinca Guilherme.

Veja também