(67) 99826-0686

Especialistas da Capital dão dicas para a mulherada atingir o orgasmo

Sexualidade

5 DEZ 2013
Renan Gonzaga
07h30min
Foto: reprodução

Pode confessar, você já assistiu vídeos pornográficos na web pelo menos uma vez na vida, ou para os mais tradicionais, pelo menos algum filme da famosa trilogia Emanuelle, da Band, nas madrugadas de sábado para domingo. Seja para ver estrelas ou por simples curiosidade, mas estimular a imaginação e se amar individualmente é uma técnica muito comum entre homens e mulheres.

 

Emanuelle, clássico do Soft Core internacional, foi pioneiro no auxílio da liberação sexual das mulheres brasileiras

 

E por mais que a masturbação seja diariamente praticada, ainda é um tabu entre os campo-grandenses, para não falar no Brasil inteiro. O fato é que quase todo mundo utiliza o prazer para se aliviar. É, quase, porque algumas mulheres nunca chegaram lá. Talvez por problemas de saúde, educação familiar rígida ou falta de diálogo no relacionamento. A certeza é que o assunto que rende boas conversas.

Apesar das conquistas femininas das ultimas décadas, incluindo a revolução e liberação sexual, difundida na mídia por artistas como Madonna e Leila Diniz, muitas mulheres ainda sofrem para atingirem o ápice do prazer. De acordo com a Personal Sexy Karina Brum, a dificuldade de chegar ao orgasmo está intimamente ligada ao autoconhecimento. "A mulher pouco se toca, pouco se conhece. A grande maioria não consegue nem pensar na palavra masturbação", explica.

"Fatores externos também boicotam o êxtase orgástico, como estresse, irritabilidade, excesso de sono, preguiça e TPM", afirma Karina.

"Caso a mulher tenha dificuldade em iniciar um clima que leve a masturbação eu recomendo que leia contos eróticos disponíveis na internet e em livrarias. Essas histórias vão aflorar a imaginação e deixar o clima mais quente". É o que indica a psicóloga com formação em sexologia, Caroline Santos. "A mulher deve literalmente se explorar, se acariciar e conhecer cada pedaço do seu corpo, não apenas seu órgão sexual. Passar a mão pelo pescoço, rosto, seios, barriga, coxas e bumbum é muito valido", completa.

O número de mulheres saudáveis que nunca tiveram um orgasmo é muito grande. "Sete entre 10 mulheres nunca chegaram lá. A nossa cultura ainda educa a mulher a oferecer prazer ao homem sem se preocupar com as suas necessidades na hora do sexo", constata Caroline. E pelo que tudo indica, aquelas cenas de filmes que estamos acostumados a ver, onde as atrizes atingem ao clímax com muita facilidade não passam de encenação. 

Para a psicóloga, ter um orgasmo é atingir um nível de excitação sexual que envolve o físico e o mental, e é necessário desprendimento. "As mulheres precisam aprender a se dedicar ao prazer da vida, assim como vão ao salão e fazem unhas, cabelo e depilação. Toda mulher precisa de um tempo para cuidar do seu lado sexual", conclui.

Ela ainda complementa que ter prazer não é motivo de vergonha. "Pedir ao seu parceiro, na hora do sexo, que faça uma posição diferente ou acaricie algum lugar que te proporciona mais prazer vai ajudar muito na hora ter orgasmos durante a relação". Paradigmas culturais ainda impedem muitas mulheres de buscar seu prazer, o que faz com que elas acabem apenas indo pra cama, se conformando com um arrepio aqui e um calorzinho ali.

O PROBLEMA ESTÁ NO PARCEIRO?

O parceiro é uma das figuras mais importantes na conquista do prazer feminino. Ele deve deixar a mulher segura, ter paciência, estimulá-la a se tocar, acariciá-la. Também deve quebrar muitos conceitos que a mulher tem e que a impedem de sentir prazer, um deles é incentivar sua parceira a se descobrir. "Algumas mulheres sentem vergonha de se masturbar na frente do parceiro e, para maioria dos homem, ver a mulher se masturbar é uma cena de extremo prazer", afirma Caroline.

"Trabalho com uma hipótese relevante: A mulher, para ter prazer, precisa estar bem, feliz e relaxada. O homem precisa ter prazer para estar feliz e relaxado", destaca Karina Brum. 

Ter um parceiro que se importe com o prazer da mulher é fundamental, apesar de ainda existir homens que vão para a cama pensando apenas neles mesmo. 

"É muito importante o casal se explorar juntos, se tocando e beijando. Uma dica é a massagem que passa por todas as partes do corpo", ressalta a psicóloga.

ORGASMO ANAL

Além do prazer provocado pelo estímulo dos órgãos sexuais, existem mulheres que não dispensam o sexo anal. A Personal Sexy Karina Brum explica que o prazer na região acontece sim, apesar de não existir nenhum laudo escrito que prove isto. "Se o parceiro souber estimular suficientemente sua parceira, o orgasmo acontece, inebria, exaure e enlouquece a mulher. Mas tudo depende de estimulo, respeito, cumplicidade, conhecimento e técnica", argumenta Karina.

 

 

Já Caroline afirma que não é só para o homem que o ânus é uma zona de extremo prazer. "Nele encontramos muitas terminações nervosas que ao serem estimuladas intensificam o prazer feminino", ressalta e acrescenta que o tabu sobre tema ainda é grande. "O sexo anal ainda é mau visto por muitas mulheres, elas acreditam ser doloroso e proporcionar prazer apenas ao homem. Algumas mulheres tentam experimentar e se frustram com a tentativa."

Todo o prazer do sexo anal envolve o lado psicológico. As zonas de excitação são estimuladas através do toque, mas o cérebro é quem pondera a sensação. E para quem tem vontade de experimentar, mas tem medo, a dica da psicóloga é simples: Muita calma. "A parceira tem que estar bem relaxada para que o seu anus também relaxe e facilite a penetração e não aja dor. Durante o ato o parceiro deve respeitar os limites da parceira para que ela possa alcançar seu prazer máximo, levando finalmente ao orgasmo", conclui.

Veja também