(67) 99826-0686

Sem música alta e bebedeira, Orla Morena vira novo point no domingo para os campo-grandenses

Nos altos da Avenida Noroeste

3 FEV 2014
Renan Gonzaga
06h00min
(Foto: Renan Gonzaga)

É ali, próximo da região central de Campo Grande, que uma turma que procura tranquilidade e momentos familiares anda circulando aos domingos. Cansados do som alto e da bebedeira nos altos da Afonso Pena, eles se viram obrigados a trocar de área de lazer para renovarem as energias antes de começarem a semana, ou simplesmente tomarem o tradicional tereré.


Como exemplo, existe o empresário Paulo Henrique, de 33 anos, sócio proprietário de uma empresa de materiais para construção. Adepto de caminhadas nos primeiros raios de sol do dia no bairro onde mora, ele chega na Orla quase todo domingo às 18h para contemplar o entardecer em um dos cartões-postais da Capital.


“A Orla Morena é um dos lugares mais bonitos e tranquilos da cidade. Para mim, o por do sol aqui é o mais belo de Campo Grande. Fora que passar o domingo aqui é mais relaxante do que passar na Afonso Pena. Os amigos que gostam de beber vão para lá, e eu que quero sossego venho para cá”, comenta.


A sensação de local alternativo à massa de gente que frequentava a maior avenida da Capital, sentida por Paulo, é compreendida pela estudante Caroline Melo. Para ela, a virada da região como novo point da cidade está ligada à busca pelo sossego.


“Muito interessante isso, porque quando eu era criança essa região era considerada um local que todos queriam fugir. Só tinha usuários de droga aqui. Sem falar no mato alto e a enorme quantidade de lixo”, relata a jovem de 21 anos, moradora avenida Noroeste.


Lotada, Orla Morena é alternativa nas noites de domingo. (Foto: Renan Gonzaga)


Segundo ela, frequentou os altos da Afonso Pena até o ano passado, mas depois que duas mulheres foram baleadas em frente à conveniência P22, em novembro de 2013, o local ficou totalmente sem segurança. “Lá só tem baderna agora, e chega uma hora da noite no domingo que só ficam os bêbados. Eu prefiro ficar aqui com minha família”, revela.


Quem deseja praticar alguma atividade, além de caminhar, correr, pedalar ou fazer exercícios na academia ao ar livre, pode participar do "Zouk na Orla". O projeto de dança é realizado todo domingo, das 17h30 às 21h, e reúne pessoas que utilizam o ritmo como terapia e forma de perder peso.


“Na Afonso Pena não tem essas coisas, por isso a orla sai ganhando. Aqui pode vir família tranquilamente. Olha essas crianças brincando, olha os policiais ali na patrulha. Vários amigos meus vem aqui para dançar zouk e depois a gente toma tereré. É por essas e outras que eu resolvi trocar de local no domingo”, finaliza Caroline.

Veja também