Menu
quinta, 22 de outubro de 2020
Algo mais

Som da Concha volta com tudo, tocando de samba a Michael Jackson

Temporada 2014

17 fevereiro 2014 - 06h00Por Renan Gonzaga

A mistura de ritmos marcou a volta do projeto Som da Concha em 2014. Cerca de 1.600 pessoas compareceram ao evento que misturou samba, rock e até o pop internacional do Michael Jackson. E o público, animado, cantou em coro vários sucessos da música nacional e regional.


O show, marcado para 18h, abriu com a apresentação da banda Dona Nega, formada por Patrik Sandim (vocais, cavaquinho, violões e guitarra), Waldeir Ferreira Pira (contra baixo e voz), Luanzinho Andrade (bateria) e Marcelinho (saxofone).


Misturando bateria swingada, instrumentos tradicionais do samba e o grito do saxofone, eles transformaram vários sucessos da música brasileira em samba rock. Um dos destaques do show ficou por conta do cover da música Billie Jean do Michael Jackson tocada de forma “abrasileirada”.


Dona Nega abriu a temporada 2014. (Foto: Renan Gonzaga)


O estudante Diego Mendes, de 18 anos, disse que era a primeira vez que ouvia Dona Nega tocar, e que a banda já estava aprovada. “Gostei bastante, eles fazem um som legal. Cantaram Descobridor dos Sete Mares e Gostava Tanto de Você do Tim, que eu adoro”, comenta.


Já a brasiliense Ana Paula Araújo, de 29 anos, afirma que eventos como este provam que a Capital é rica culturalmente. “Acho que Campo Grande tem cultura sim, tem artistas bons. Eu acompanho todas as edições do Som da Concha, venho em todas e acho ótimo”, afirma a fisioterapeuta.


Café fraco, aqui no meu barraco, faltou pó, minha manhã já foi melhor...” foi cantada em um coro formado pelo público de aproximadamente 1600 pessoas, segundo a Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul. A música é um dos maiores sucessos da banda Dombraz.


Formado em 2008, Dombraz tocou sucessos durante a apresentação. (Foto: Renan Gonzaga)


O grupo, que possuí influências de rock, funk, reggae e samba, começou a tocar em 2008, e já é conhecido como um dos maiores nomes no meio cultural do Estado, trilhando caminho com uma “nova MPB” e atraindo cada vez mais fãs show à show.


O Som da Concha tinha que abrir com Dombraz. Eles já tem dois álbuns lançados e são a cara de Mato Grosso do Sul, são a cara da Música Brasileira”, ressaltou a jovem Larissa Pereira, de 20 anos, que também frequenta quase todas as edições do projeto.


Depois de mais de duas horas de música o show chegou ao fim, agradando a maioria dos presentes, que ficaram na expectativa da próxima edição. “É ótimo. Traz artistas populares daqui da cidade, tem que ter mais projetos assim. Quero vir em todos”, exaltou Ana Paula.


A Concha Acústica Helena Meirelles recebeu 1.600 pessoas neste domingo. (Foto: Renan Gonzaga)

Leia Também

Vítima de maus-tratos, idoso é resgatado de cárcere privado
Polícia
Vítima de maus-tratos, idoso é resgatado de cárcere privado
Desempregada, protetora se 'vira nos 30' e vende petiscos caninos para cuidar de animais resgatados
Algo mais
Desempregada, protetora se 'vira nos 30' e vende petiscos caninos para cuidar de animais resgatados
Auxiliar de enfermagem perde batalha contra covid-19 em Água Clara
CORONAVÍRUS
Auxiliar de enfermagem perde batalha contra covid-19 em Água Clara
Candidatos da Capital falam sobre emprego, habitação e desigualdade social em programa na TV
Cidade Morena
Candidatos da Capital falam sobre emprego, habitação e desigualdade social em programa na TV