(67) 99826-0686

De temas natalinos a doce de cerveja, ceia fica mais gostosa com quitutes de jornalista

Influenciada pelas mulheres da família, Gabriela apostou nos dotes culinários para fugir de rotina desgastante

23 DEZ 2016
Amanda Amaral
09h03min
Foto: Reprodução/Facebook

Com as festas de fim de ano se aproximando, o momento parece se tornar ainda mais inspirador para empreender no que pode ser o presente ideal para uma pessoa querida. Pensando nisso, a jornalista e autointitulada ‘quituteira’ Gabriela Zaleski, 28 anos, trabalha com força total para garantir que encomendas de docinhos fofos com a cara do Natal sejam entregues a tempo.

Entre os sabores de maior sucesso da 'Os Quitutes de Gabriela’, que levam aquele toque caseiro da produção artesanal, estão o brigadeiro de churros e o cajuzinho, mas o preparo vai além. “Acho que o cajuzinho estava meio sumido das festas e os clientes pedem muito. Faço diversos tipos de doces, mas o docinho de leite em pó que pode ser moldado e colorido em qualquer formato sempre fez muito sucesso e vendo que as festas de final de ano estavam próximas, achei que seria uma boa investir em motivos natalinos. Deu certo!” conta.

A venda dos doces começou há apenas três meses, depois de muito pensar em uma mudança de vida e a vontade de pôr um fim às passagens por empregos desgastantes, e ter mais qualidade na rotina que leva com a filha de dois anos. Foi aí que o sonho de fazer algo que realmente lhe desse prazer foi se tornando realidade.

A decisão parecia seguir por um caminho natural ao aliar sua facilidade com trabalhos manuais e a gastronomia, já que Gabriela começou a tomar gosto pela cozinha ainda criança. Sempre rodeada de pessoas que gostam de cozinhar, observava principalmente as receitas de pratos salgados e doces preparados pela avó materna, com quem passou boa parte da infância.

“Além da minha avó, minha mãe também foi uma grande influência pra mim. As receitas dos doces que faço são basicamente todas dela. Uma coisa ou outra eu modifiquei no caminho. Quando criança, minha mãe comemorou praticamente todos os meus aniversários e era ela organizava tudo e fazia todos os docinhos da festa”, relembra Gabriela, que tomou coragem para empreender incentivada por amigos que já provaram e aprovaram suas receitas.

Os doces mais simples custam R$ 50 o cento, mas há também opções de docinhos mais elaborados, com frutas naturais, como morango, uva, maracujá. Entre os alcoólicos, há os de cerveja, tequila, vinho e outras bebidas que custam a partir de R$70 o cento e, como conta Gabriela, têm feito bastante sucesso.

“Além destes, os de leite em pó são muito bem aceitos, pois podem receber o formato que o cliente desejar. Todos os sabores também tem a opção de virem numa caixa presenteável, com 15 unidades grandes, a partir de R$ 20”, explica. Pelo Facebook, clicando aqui, é possível ver mais imagens dos doces e entrar em contato para fazer uma encomenda.

Veja também