TJMS JANEIRO
Menu
sábado, 22 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Campo Grande

Bairros que já deveriam ter recebido coleta da Solurb amanhecem cheios de lixo

19 setembro 2015 - 14h02Por Amanda Amaral

A CG Solurb anunciou ontem (18), por meio de nota oficial, que iria retomar o serviço de coleta de resíduos sólidos em Campo Grande a partir das 19h horas do mesmo dia, que estava paralisado desde o dia 8 de setembro. Contudo, os bairros que deveriam ser atendidos durante a madrugada e a manhã deste sábado (19) amanheceram com as mesmas pilhas de sacos pretos e verdes, da coleta normal e da seletiva.

A empresa havia dito que iria seguir o cronograma já estabelecido dos bairros, apenas com acréscimo de horas extras, por conta disso, a limpeza só iria ser normalizada em até vinte dias.  O presidente do STEAC (Sindicato dos Trabalhadores em Asseio e Conservação), Wilson Gomes da Costa, explicou que o procedimento continuaria normal, das 7h20 até 15h50, podendo ser prorrogado até 17h50. “A escala noturna é das 19h até 2h47 da madrugada, devemos fazer 2h a mais”, completou.

Foto: Amanda Amaral 

Os moradores, porém, reclamam da falta de atenção e cobram uma atitude mais séria tanto da empresa quanto da prefeitura.  Na vila Progresso, onde a coleta deveria ter sido feita durante a madrugada deste sábado (19), o lixo ainda estava acumulado em frente às residências. “Não passou hoje, tem que por na cadeia esse povo. Pra mim essa política é uma sem vergonha, acaba que prejudica os próprios eleitores”, disse Celso Moreira, 65 anos, comerciante, morador da Rua Estevão Capiata.

Foto: Marionildo Moreira 

O comerciante tem colocado os sacos de lixo cheios de embalagens vazias e folhas secas no próprio quintal, para evitar que cachorros ou outros animais espalhem o material pela calçada. O lixo orgânico ele tem enterrado no quintal de casa, para evitar o mau cheiro. “Tem um ‘sacão’ lá dentro, estou vendo onde acho mais espaço pra enterrar”.

No Jardim Paulista, foi encontrado o mesmo cenário. “Aqui em casa a gente produz pouca coisa, tentamos diminuir a quantidade de lixo pra não deixar juntar muito, mas a coisa está calamitosa aqui no bairro”, disse a administradora Marlene Casconetto, 57 anos, que mora na Rua Regente Feijó.

Foto: Marionildo Correia 

No bairro Portal Caiobá, onde a coleta deveria começar a ser feita no início desta manhã, também não recebeu os funcionários da Solurb no horário regular. “Vinha normalmente às sete horas da manhã, normalmente a coleta acerta o horário. Mas vamos tirar o saco da frente aqui porque acho que não vem mais”, disse o morador da Rua Cachoeira do Campo, Silvio Castro, 31 anos.

A estudante Bruna Raquel Dias, 25 anos, que reside na mesma rua, afirmou que iria aguardar até o fim do dia pela coleta, pois acredita que o atraso foi devido à desorganização pós-greve. “O ruim é aturar e cheiro forte, né, ainda mais nesses dias de muito calor. Só tem ficado pior”, disse.

Foto: Marionildo Moreira  

 

Greve

A Solurb alega que a prefeitura deixou três faturas em aberto, referente ao mês de junho, julho e agosto que corresponde a R$ 23,8 milhões, e alegavam não ter dinheiro em caixa para efetuar o pagamento dos funcionários.

Na terça-feira (15), o juiz Alexandre Ito, da 2ª Vara da Fazenda Pública e de Registros Públicos do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ/MS) acatou liminar que pedia o retorno da coleta do lixo disposto nas ruas de Campo Grande em sua totalidade, responsabilidade da concessionária CG Solurb Soluções Ambientais Ltda., sob a pena de multa diária de R$ 50 mil a R$ 1 milhão.

Na quinta-feira (17), a Prefeitura Municipal depositou em juízo o valor de R$ 1.568.800,00, dinheiro que foi direcionado ao pagamento dos funcionários na tarde de ontem.

Em alguns dias da semana, a Prefeitura Municipal disponibilizou uma força-tarefa, formada por funcionários da Seinthra (Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação) e voluntários, para fazer o recolhimento do lixo, especialmente na região central.