TCE Novembro
TJMS DEZEMBRO
Menu
sexta, 03 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
pmcg revia negocios
Campo Grande

Falta servidor e até caneta: leitor denuncia precariedade na Casa da Saúde

Segundo denunciante, número de funcionários é pouco diante da demanda diária de pacientes

07 novembro 2018 - 19h00Por Kerolyn Araújo

Computador antigo, impressora que não funciona, falta de caneta e até de servidores para atender a demanda. Quem precisa retirar medicamentos no local, além de amanhecer na unidade, também precisa de sorte. 

Silvio Ribeiro, 49 anos, pega medicamento na Casa há oito anos e, de uns tempos pra cá, tem enfrentado algumas dificuldades. A maior delas é a falta de servidores para atender as demandas diárias. 

''Os poucos servidores que trabalham lá nos atendem muito bem, porém o problema é que são poucos em relação a demanda. Se você visitar o local por volta das 7h vai perceber que a sala fica tão cheia que não dá nem para respirar direito e apenas quatro servidores atendendo", relatou.

O primeiro problema está ligado ao baixo número de servidores que atendem no local. ''Existe uma desorganização na entrega de senhas. Não tem ninguém que fica cuidando quem chegou primeiro e quem chegou por último. Então, às 7h, quando chamam para distribuir as senhas, pessoas que chegaram por último acabam pegando as primeiras. Como eu uso muletas e tenho dificuldade para levantar, todo mundo passa na minha frente mesmo eu tendo chegado primeiro". Segundo Silvio, apenas uma servidora é responsável por distribuir senhas para dois tipos de atendimentos.

Além da falta de servidores, a estrutura física do local também deixa a desejar. Conforme Silvio, os computadores são antigos, demoram para ligar, a impressora sempre estraga e faltam até canetas. ''Uma vez não tinha impressora e a servidora preencheu um documento à mão para eu não perder a viagem. Ela teve muita boa vontade, porque poderia ter mandado eu voltar outro dia. Até canetas eles precisam levar de casa porque lá não tem".

Segundo Silvio, o problema se agravou com a troca de governo.''Sempre teve fila, mas antes ela andava mais rápido. Mas piorou depois que reduziram o número de servidores".

Apesar do problema enfrentado toda vez que precisa ir ao local buscar medicamento, Silvio frisa o bom atendimento dos servidores. ''Todos eles nos atendem muito bem, o problema é que são poucos funcionários para atender a quantidade de pessoas que procuram a Casa da Saúde", ressaltou

O TopMídia News entrou em contato com a Secretaria Estadual de Saúde (SES) para apurar a denúncia do leitor, mas até o fechamento da matéria não obteve retorno sobre o caso.