TJ BANNER JUNHO 2022
PREF MARACAJU JUNHO REFIS 2022
Menu
sábado, 25 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
Campo Grande

Frei 'sem cordão' é visto vendendo terço na Dom Aquino e internauta suspeita de golpe

Segundo a testemunha, dinheiro seria revertido para crianças carentes

01 março 2017 - 13h15Por Thiago de Souza

A venda de rosários (terços) feita por um suposto frei franciscano, em Campo Grande, chamou a atenção de uma leitora do TopMidiaNews, que alertou para a possibilidade de golpe. Isso porque o religioso não usava o tradicional cordão de três nós, acessório obrigatório no hábito (veste) da ordem franciscana. 

Por volta das 11 horas, dia 10 de fevereiro, Liliane Gobbo relata que estava em um estacionamento na Rua Dom Aquino, quase esquina com a Avenida Calógeras, próximo da agência central dos Correios. Ela, acompanhada de uma amiga, foi abordada pelo frei, que  oferecia o rosário, alegando que o dinheiro seria revertido para crianças carentes.

''Ele nos pediu licença e a abordagem foi de um camelô e não de um frei. Digo isso pois meu convívio com religiosos é de toda minha vida e o comportamento dele era diferente'', contou Gobbo. Ela e a amiga não compraram o adereço, que era oferecido a R$ 10.  

Enquanto o frei oferecia o objeto para o manobrista do estacionamento, Liliana tirou uma foto, e já desconfiada da atitude, postou nas redes sociais. ''Olha o golpe, será?'', escreveu. 

Ainda segundo Liliane Gobbo, durante o oferecimento do rosário, o suposto frei não citou a qual ordem pertence nem para qual entidade o dinheiro arrecadado seria doado. Além disso, a veste do religioso foi o fator de maior desconfiança. ''Estava de sapato social, calça e uma cinta velha no lugar do cordão branco'', observou. 

Conforme apurado pela reportagem, em Campo Grande freis franciscanos atuam somente na Igreja São Francisco e na Paróquia Nossa Senhora de Fátima. Na São Francisco, a secretaria desconhece qualquer tipo de comércio envolvendo os religiosos, e disse que a prática é proibida para os freis. 

Na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, a secretaria recebeu a imagem do religioso, mas ele não foi reconhecido por ninguém. ''Realmente não conhecemos, perguntamos até para o pessoal da TV Imaculada Conceição, mas ninguém conhece'', informou. 

O cordão que faltava na veste do frei, segundo a ordem franciscana, é um cinto de corda que contém três nós e representam, respectivamente, os votos de pobreza, castidade e obediência. O cinto representa também o desapego das coisas do mundo e a entrega total a Deus. 

A reportagem entrou em contato com a Arquidiocese de Campo Grande, por mais de dez vezes e sempre obteve a resposta de que a responsável retornaria as ligações, o que até agora não foi feito.